09 novembro 2007

2014


Já faz um tempinho que saiu o anúncio da Copa do Mundo aqui no Brasil e, antes mesmo dele, sempre fui contra a idéia. Desde que confirmada a triste notícia, afirmei e reafirmei - ao lado do Barneschi - que isso representa a morte do futebol brasileiro. Muitos não entenderam e outros acharam exagero. Alguns, se quiserem cornetar, podem até achar algum comentário meu favorável ao Pan 2007. Então, vamos lá.

Sobre o Pan, realmente foi uma babaquice. Se fosse para defender candidatura eu também seria contra. Mas Inês já era morta nesse caso. O grande bafafá todo se deu na participação financeira excessiva do governo. Porém, eu exergo de uma maneira diferente. O Pan trata de diversas modalidades. E algumas delas realmente foram beneficiadas, já que funcionam à base do puro amadorismo - pra não dizer mendicância. Mas o essencial é: são mera recreação.

Esporte mesmo é o futebol. Movimenta massas e milhões. Desperta amores (ninguém aqui ficou sem dormir porque a Jade Barbosa errou aqueles pulos). É nessa essência passional que a Copa no Brasil irá mexer.

Vejam: os estádios, ao se adaptarem aos "padrões FIFA", terão cadeiras numeradas. Tendo cadeiras, teremos que assistir aos jogos sentados. Durante a Copa, foda-se. Mas eu NUNCA assisto ao jogo sentado. Isso é inconcebível! Outro grande problema vai ser a elitização do esporte. Os ingressos, que hoje já são caros, irão atingir um patamar estratosférico após o evento. Nunca mais o povo terá seu ópio. Provas? Acabaram com a geral do Maracanã e no Pq Antártica entrará em vigor um tal setor VIP, que está fazendo a porcada gritar até com a nonna.

Fora esses problemas de essência, muitos outros virão:

- consolidação dos pontos corridos
- europeização do futebol latino-americano
- definhamento dos clubes por conta da supervalorização de atletas
- atrelamento ao calendário europeu, dando fim aos charmosos campeonatos regionais
- fim das organizadas

É claro. A massa ignóbil não enxerga os males da realização da Copa porque está mais preocupada com o feriado de um mês que irá se instalar por aqui. Sem querer ser do contra demais, isso só dá motivo para eu achar que não há nenhuma possibilidade de aceitar reclamações de qualquer natureza (sobre política, políticos, violência) desse tipo de gente. Eu não entro aqui nem no mérito do financiamento público - não previsto mas que irá ocorrer sem sombra de dúvida. Se o problema do país fosse esse, estaríamos em melhor situação (assim como o problema do país também não é CPMF, amantes de senadores, leites e crise aérea).

Porém, num lugar onde o atual campeão nacional empenha uma campanha conhecida como "Dia da Conversão", em que estipula o amor ao time via contrato - leia mais aqui (só para assinantes Folha ou UOL) - é certo que dias cada vez mais sombrios estarão rondando a paixão do povo brasileiro. Repito: depois não venham os ignóbeis reclamar!


4 comentários:

filipe disse...

Pois é, Corinthiano. Assino embaixo. Exatamente o que eu acho.
Essa copa deixa apenas a corja do ricardo teixeira e os babacas (incluindo aqui essa tranqueira de prizidente çapo) felizinhos. Sem nem saber a barca furada em que estão nos metendo.

O grande projeto dessa merda toda é, até 2014, ACABAR COM A ARQUIBANCADA. Não é depois da copa que não existirá, é bem antes. Até 2010, receio. A partir de 2011 teremos que pagar 40 reais para sentar naquelas bundinhas que os bambi se anteciparam a colocar, e que nós quebramos constantemente, com muita raiva.

E, falando a verdade, a quem interessa acabar com a arquibancada, senão a esses ignóbeis imbecis que agora compram torcedorezinhos "vira-casaca"?

Ou vem uma rebelião, quiçá uma revolução, ou então em menos de três anos estaremos ALIJADOS do nosso lugar nos estádios.
E o futebol?... Bem, veremos nossos ídolos potenciais em campeonatos estrangeiros, e nunca mais aqui. Até esse jogo da seleção dá nojo. No anti-estádio, a 30 conto a GERAL!!!

Porra, cadê a torcida do palmeiras, do flamengo, do vasco, do atlético, do grêmio, do bahia?
ACORDA FIEL!!!

evaodocaminhao disse...

sabe o q vcs não comentaram ainda?

sobre o fim do amendoim com casca nos estádios

tragédia

Filipe disse...

É contraditório. Na medida em que a turma do amendoim toma conta da arquibancada, o amendoim some.
Ou pior: quanto mais espaço na arquibancada se abre para essa turminha, mais caro fica o ingresso, mais cadeirinha aparece, e mais o futebol é dominado pela televisão.
Quer dizer, quanto mais a televisão transmite os jogos, mais a turminha do amendoim, que poderia permanecer no sofá, aparece no estádio. E com plaquinha "filma eu".
No fim, tragédia mesmo é a falta que faz o amendoim de casca, as bandeiras, e a cerveja. Diziam os sábios ancestrais: "Cerveja; na derrota é necessária, na vitória é merecida"...
Cidadão de verdade pode tomar cerveja na arquibancada, porra. E tem obrigação de saber cantar mais ou menos no tempo, desafinado até, mas pelo menos como se estivesse em uma arquibancada.
Tragédia é o que fizeram e fazem com o futebol. No momento em que se tem a chance de valorizar o profissional da bola, ele some daqui...
Muito cruel.
E tudo isso pra quê?...

Forza Palestra disse...

Dando seqüência aos comentários, deixo aqui uma tentativa de resposta à pergunta final do Filipe.

Pra quê?

Apenas pra satisfazer as mesquinharias de gente como esse Ricardo Teixeira, um imbecil que sonha ser presidente da Fifa mesmo sem entender nada de futebol. Pior: mesmo sem gostar do esporte!

E, claro, pra fazer politicagens entre governadores, prefeitos, senadores, lobbistas e gente do tipo.

E pra gastar o dinheiro do povo enquanto uns e outros enchem o cu de dinheiro.

Pra finalizar tudo o que já foi dito pelo japonês, deixo-os com um fato exemplar: assim que o Brasil foi anunciado sede da Copa-2014, em Zurique, o tal de Blatter foi questionado a respeito de uma provável final no Maracanã.

Eis a resposta dele:
"Para receber uma final de Copa ele precisará ser totalmente reconstruído."

Nada mais precisa ser dito...