08 julho 2010

Canalhas, deixem o futebol em paz!


Eu, você, seus amigos e parentes que vamos aos estádios sabemos que as coisas andam feias para o nosso lado. Tanto é que o amigo
Teo se sentiu no dever de redigir a obra-prima "Estatuto para o verdadeiro torcedor", com a finalidade de separar o joio do trigo e estabelecer algumas regras de conduta óbvias para nós, mas absurdas e ao mesmo tempo necessárias para outros tantos babacas politicamente corretos. Tal documento é, além disso, uma contraposição à besteira homérica do Estatuto do Torcedor, cuja utilidade é a mesma do papel higiênico.

Ocorre que, desde o ano passado, o famigerado documento entrou novamente em pauta no Legislativo para reformas, respondendo a interesses que não os do torcedor. Na verdade, tanto o original quanto sua atualização insistem no binômio torcidas organizadas/violência, fazendo uma associação ignorante e covarde e atendendo aos anseios daqueles que querem transformar o futebol numa chatice mercadológica. Eis que na última quarta-feira, dia 07/07, o Senado aprovou texto do deputado Arlindo Chinaglia - vou me esforçar para não fazer o trocadilho natural - que mexe no Estatuto e traz milhares de absurdos, com destaque para os seguintes:

- O primeiro Artigo escancara o nível da imbecilidade.
"É dever de toda pessoa física ou jurídica colaborar na prevenção de atos ilícitos e de violência praticados por ocasião de competições esportivas". Ou seja, incita-se a cagüetagem.

- A
censura aos protestos consta na nova lei. Diz o item IV do Artigo 13-A que é condição para o acesso e permanência do torcedor nos estádios: "não portar ou ostentar cartazes, bandeiras, símbolos ou outros sinais com mensagens ofensivas, inclusive de caráter racista ou homofóbico". Deixando de lado o fato de que a definição do que é ofensivo é bem subjetivo e aplaudindo a criminalização do racismo e homofobia, não podemos esquecer que o insulto é condição de existência das torcidas. Dessa forma, terei de tratar os porco e a bicharada por vossa excelência? Se eu xingar o juiz ou levar uma faixa chamando o Andrés Sanchez de filho de puta - trata-se apenas da verdade -, poderei ser banido? Se um desgraçado de um dirigente vende ingressos de arquibancada a R$30, eu tenho que me calar e não posso mandar fazer uma bandeira cobrando decência?

- Ainda no Artigo 13-A, seu item IX afirma que eu não posso
"invadir e não incitar a invasão, de qualquer forma, da área restrita aos competidores". Ao mesmo tempo, o Artigo 39-A estabelece que "A torcida organizada que, em evento esportivo, (...) invadir local restrito aos competidores, árbitros, fiscais, dirigentes, organizadores ou jornalistas será impedida, assim como seus associados, de comparecer em eventos esportivos pelo prazo de até 3 anos". O novo Estatuto, portanto, ao invés de proteger o torcedor, dá guarida aos principais canalhas do futebol, a saber: jogadores vagabundos, árbitros, dirigentes ladrões e jornalistas abutres. Ficam os torcedores à mercê desses pulhas e qualquer protesto é criminalizado.

- O Artigo 39-B traz que
"A torcida organizada responde civilmente, de forma objetiva e solidária, pelos danos causados por qualquer dos seus associados ou membros no local do evento esportivo, em suas imediações ou no trajeto de ida e volta para o evento". Sendo assim, o Estatuto admite a incompetência da Polícia em gerenciar uma tarefa básica.

Diante de todas essas punhaladas dadas em nosso peito pelo Congresso em favor da modernidade, o prognóstico da morte do futebol para 2014 feito em 2007 está corretíssimo. O próximo passo é instalar ar condicionado e servir canapés aos convidados (as torcidas serão extintas e ficarão nas ruas, e aí sim vocês vão ver o que é violência!), todos eles em trajes de gala nas confortáveis cadeiras das arenas. A cada gol, palmas contidas irão saudar os atletas, todos eles de Cristo, e o público mal irá prestar atenção ao gramado. Telões irão transmitir em HD a partida - pela Globo, que revira o calendário todo ano e não sofre nenhum tipo de punição pelo Estatuto - e auxiliarão os 20 juízes em campo a validar qualquer lance duvidoso. Parabéns, caros assassinos, vocês estão conseguindo destruir o que ainda resta ao povo!

4 comentários:

Corinthiano disse...

Craudio,
Parabéns novamente.
Ontem passei por uma sensação mto engraçada e nostalgica, lembro que qdo era moleque se não fosse ao estádio, só assistiria o Timão na TV e olha lá, por tanto escutar o jogo no radinho era "de lei" e foi o que aconteceu depois de mto tempo, dormi feliz por isso. Ai hj de manhã vejo essa noticia. O sorriso amarelou na hora e ódio a esses CANALHAS tomou conta.

Porrada neles!

Clayton

Filipe disse...

Vão tomate cru, ponte que partiu.
E tudo permanecerá na lesma lerda.

Xingamento=Futebol.

Os jogadores serão terminantemente proibidos de escarrar, ainda que com a finalidade de desobstruir as vias nasais com o muco natural do uso intenso, proveniente da corrida durante a disputa, que é do Futebol.

Obrigado pela moral e os bons costumes.

storm disse...

Opa Cláudio, oomo frequentador deste espçao, do Alvaro e de outros blogues corinthianos eu achei esse video, não sei se vc ja o viu, se sim vale pena ver de nv, quem não viu, aproveite

abs.


http://www.youtube.com/watch?v=ReW5WSkM9fA&feature=related

Ayrton disse...

Claudinho, meu filho. Muita calma nessa hora.Você sabe muito bem, acredito,que essa lei inócua foi gestada na cabeça de dois gênios, a saber, Pelé e Juca Kfouri.O que se poderia esperar ?