27 julho 2010

Um canalha chamado Juca


Muito do caráter das pessoas pode ser percebido não nas grandes frases de efeito, mas sim nos pequenos detalhes. Num texto opinativo, então, a regra é quase 100% certeira. Temos na imprensa esportiva aquele que talvez seja o mal dos males, o vírus da AIDS da crônica futebolística, que atende pelo nome de Juca Kfouri. Já tratamos inúmeras vezes de quem, neste humilde espaço, é denominado "a voz da verdade".

Porém, não vou gastar saliva repetindo todo o conhecidíssimo modus operandi sujo utilizado pelo pseudo-jornalista, tão valorizado por grande parte da massa leitora brasileira como o totem da moralidade. Irei me ater à última presepada do nobre arquivista, que resenhou o recente filme do Corinthians sobre nosso glorioso Centenário. Lá pelas tantas, Juquinha vem com a seguinte assertiva, tratando das personalidades alvinegras presentes no longa: "Não tem Ronaldo que, estranhamente, pediu dinheiro para falar, assim como Rivelino".

Antes de tratar do ocorrido, parênteses abertos. É preciso esclarecer que Ronaldo só tem um e jogou 601 vezes pelo Corinthians. É um dos maiores ídolos de nossa história e ganhou tudo o que podia na sua longa trajetória no Parque São Jorge. Particularmente, foi o último jogador que mereceu minha saudação das arquibancadas. O resto que temos por aí fazendo hora extra e nos custando milhões, tratemos pelo diminutivo que merece.

Exatamente por conta dessa confusão criada pela homonímia entre ex-atletas, a frase citada ali em cima é canalha. Ela tenta jogar fagulhas de crise na Fiel Torcida, colocando-a em confronto com um dos seus principais ídolos e contra outro grande jogador e ídolo, coincidente e recentemente homenageado pelo clube. Mais do que não esclarecer de qual "Ronaldo" tratava, Juquinha não apresentou provas da acusação grave que fez. E aí a gente faz o trabalho para esses pulhas.

Nosso querido Ronaldo, o grande queixada, está no Twitter. Por lá, indaguei:

- Ô, @Ronaldo601: não vai mudar nada, mas é vc q o Juquinha tá querendo chamar de mercenário por cobrar pela entrevista no filme dos 100 anos?

Ronaldo respondeu:

- @craudio99 não sei quem é, eu já gravei.....agora se vc descobrir me avise. Porque esse cara precisa de ajuda!!!! Ok

E o diálogo prosseguiu assim:

- @Ronaldo601 Eu sabia que só podia ser o Gordo. De qualquer maneira, é sempre bom esclarecer que RONALDO SÓ TEM UM!

- @craudio99 beleza ......

- @Ronaldo601 No mais, esse é o modus operandi do Juca Kfouri e não sei pq ainda insistem em chamar esse babaca pras coisa do Timão.

E finaliza nosso ídolo:

- Só lembrando qualquer duvida em cima do meu nome e só escrever..... Ok

Notem a postura louvável de Ronaldo em perder seu tempo ao responder para mim e, depois, dar uma aula básica de jornalismo a quem se diz jornalista. Como imaginava de antemão, é óbvio que o craque das traves, o "Espaaaaaaaaaaaaaaaaalma Rrrrrrrrrrrrronaldo" da minha infância e juventude, jamais faria algo assim. O esclarecimento, no entanto, era necessário, até porque nos tempos de internet um mal-entendido se espalha como verdade em questão de segundos.

Eis, portanto, o perigo de um canalha como Juca Kfouri ainda ter tanta relevância no meio esportivo, principalmente junto à molecada. Fato inexplicável, assim como a presença constante desse nojento em tudo o que envolve o Corinthians, mesmo ele não sendo corinthiano (que ele grafa corintiano). Mais grave ainda é essa diretoria - principal alvo das denúncias vazias de Juquinha e seus laranjas - permitir boçalmente que ele diga asneiras em registros históricos e oficiais do Coringão. Talvez esses merdas se mereçam, mas que deixem a Fiel e o Corinthianismo fora dessa.

12 comentários:

Bruna F. C. disse...

Ridículo isso, mas será que o Gordo não quis mesmo gravar? Será que ele seria tão mesquinho assim, e a produçãao do filme resolveu não divulgar para não gerar 'conflito'??

Claudio Yida Jr disse...

Então, mas aí é que tá. O que interessa isso? Até porque essa é a mesma produtora que enfiou Sabrina Sato no filme sobre 77.

Primeiro, vai saber se essa história é verdade. Não quis me alongar, mas porque será que ele citou o Rivellino tb, justo na semana que ele foi homenageado na calçada da fama? Todos sabemos que a inveja pessoal é o que pauta o Juca.

Depois, é nada mais que uma estratégia para nego sair falando por aí: "olha, vc viu o que o jk escreveu???"

Sobre o filme mesmo, não acrescentou nada que o trailer não tenha dito melhor.

Filipe disse...

O juquinha é o HIV da abutraiada e do Futebol. Bela definição, Porta-Voz.

Daniel Damásio disse...

O Juquinha está num perfil da ala jornalística da Fiel onde são até bem intencionados como corinthianos, mas acabam se perdendo e fazendo merda na couraça de jornalista. (E nisso eu incluo também a Marília Ruiz e o Benjamin Back). Até gosto de uma frase que ele soltou sobre a Fiel Torcida. Mas eu odeio este JK de latrina simplesmente pela sua banca de ateu. O Cabeçudo de Muzamba pode ser palhaço, mala, sardinha e chato pra caralho, mas eu sei que ele demonstra ter fé em Deus (o que é raridade entre jornalistas). Ainda vou escrever sobre juquinha e sobre a importância de ser por Deus à frente.
Muito bem lembrado, japa!

Daniel Damásio disse...

Ah, eu também gritava muito ESSSPAAAAAAAAAAALLLLMA RONAAAAAAALLLLLDOOOOO quando era guri lá na Mantiqueira. Meu sonho de consumo era uma camisa 1 mesclada que ele usava.

Álvaro disse...

Ele tem a mania de cagar regra a partir de exemplos e nunca percebe que existe um contraditório ou mesmo outra interpretação.

Por exemplo, ele colocou um post serelepe sobre o presidente do Flu ter sido exonerado de cargo na FIFA e só "descoberto" quando chegou na África. Isso justificaria o NÃO do Flu -- claro que ele o pres sabia de tudo e só foi para causar.

Conclusão: o ético-fodão-genial Muricy não foi para a seleção por uma babaquice infaltil do presidente do Flu.

PS: só para constar, o único tipo de contrato que não pode ser rompido foi proibido pela Lei Áurea.

Bruna F. C. disse...

Olha lah o que o globoesporte.com falou:
"Ronaldo é destacado como um dos símbolos do renascimento do clube, porém, não deu declarações. Segundo o departamento de marketing do Timão, ele e o ex-jogador Roberto Rivellino não foram entrevistados por falta de tempo de ambos."

storm disse...

ATUALIZAÇÃO: Rivellino esclarece que não deu depoimento porque não quis falar ao filme, não porque cobrasse por isso. E argumenta que liberou sua imagem sem cobrar. E é verdade, liberou mesmo. Mas, sem dúvida, perdeu a chance de estar num filme que, obrigatoriamente, deveria tê-lo, melhor jogador dos 100 anos do Corinthians.


Se fodeu, tomou dois tocos seguidos, um do Goleiro Ronaldo e agora do Ruivellino, ou seja, esses dois ja o tem na alça de mira

storm disse...

ATUALIZAÇÃO: Rivellino esclarece que não deu depoimento porque não quis falar ao filme, não porque cobrasse por isso. E argumenta que liberou sua imagem sem cobrar. E é verdade, liberou mesmo. Mas, sem dúvida, perdeu a chance de estar num filme que, obrigatoriamente, deveria tê-lo, melhor jogador dos 100 anos do Corinthians.


Se fodeu, tomou dois tocos seguidos, um do Goleiro Ronaldo e agora do Ruivellino, ou seja, esses dois ja o tem na alça de mira

Silvinho disse...

Claudio, a escolha de quem participa dos documentários não é do clube, cabe aos seus produtores, esses sim que devem ser cobrados por excrescências do tipo Juca Kfouri e Sabrina Sato fazerem parte destes documentários.O clube tinha que ser cobrado por dar espaço para o ex-Nóia Pop Star Zina até na sala da presidencia, expondo o clube ao ridículo
Abraço Japa

Claudio Yida Jr disse...

Obrigado à colaboração dos amigos, que ajudaram a desmascarar esse pulha.

Vale dizer ainda que ele não se retratou com Ronaldo. Só colocou no texto a referência ao Gordo, e fez isso depois que nosso goleiro o procurou.

Fiquei particularmente satisfeito com esse post, muito por conta do teor participativo, porque é mais um passo na desmoralização de juquinha e sua máfia.

Claudio Yida Jr disse...

Silvinho, mas você concorda que a viabilidade econômica do filme é garantida pela diretoria de marketing e que, portanto, ela tem poder de veto no conteúdo? E que o marketing considera Juquinha, Sabrina, Zina e demais aberrações como atraentes para a divulgação da (vomitarei) marca, mesmo que isso seja, na verdade, um anti-marketing?

Minha crítica é nesse sentido apenas. Basta colocar no contrato que o Corinthians permite a filmagem, desde que esse idiota que tanto mal faz ao clube seja banido das entrevistas.