18 outubro 2010

A intolerância e a campanha do ódio


Em primeiríssimo lugar, quero deixar bem clara uma opinião que ficou muito evidenciada nessas eleições. Politização e convencimento baseados em ideologias não funcionam no ano do pleito. Isso é para ser feito durante o mandato, seja situação ou oposição. Nisso, tucanos e demais reacionários que ainda remanescem da ditadura têm vantagem, pois contam com a velha mídia. Daí, chego à conclusão que politizado em ano de eleição é igual a torcedor de Copa do Mundo, e ambos primam por uma marca registrada: o oportunismo.

Dito isso, adiante. Comove-me o nível de argumentação desses que se dizem “do bem” e que enxergam no governo Lula – e conseqüentemente na sua continuidade com Dilma – um perigo à humanidade. Lógico, para alguns é inadmissível um metalúrgico ter se tornado um dos homens mais importantes do mundo, assim como é intolerável uma mulher querer sucedê-lo. Pobre e mulher têm mesmo é que saber o seu lugar e ficar por lá, deve pensar essa gente.

Para espalhar bobagens olímpicas e fazer eco a esse pensamento, um dos principais recursos dessa campanha indecente de José Serra está no envio de e-mails pela dita militância, aquela que nunca vi saindo às ruas e que considera protestos algo démodé. A canalhice é agressiva: mandam mensagens não solicitadas por repetidas vezes, e sempre com alguma mentira contra Dilma.

A mais famosa traz a ficha falsa criada pela Falha de S.Paulo e me chegou novamente nessa manhã de segunda-feira. Enviada por uma Maria Julia Coreixas Alves de Souza (pomposo, não?), ilustre desconhecida que tem, não sei por que cargas d’água, meu e-mail. Ajustando minha estratégia a uma sugestão do jornalista Renato Rovai, respondi copiando um texto preparado pela campanha de Dilma e que aparece justamente numa seção criada para desmentir falsas acusações feitas pela tucanada reaça. Eis o diálogo, que seria triste se não fosse previsível:

Eu: “Como acham que minha caixa de e-mails é penico, respondo com a verdade. Brasil urgente! Dilma presidente!” [mais o link supracitado]

Resposta da digníssima (atentem para a linguagem rica e rebuscada): “Tu jura!!!! Pinico ta a sua urna eletronica com tanta ilusao e retrocidade... nada mais retrogrado doq ser ptista !!!”

Minha tréplica: “Oras, vc me manda um e-mail não solicitado e ainda responde com mais grosseria? E pq não responde a todos? Além de grosseria, usa covardia? Que coisa, depois eu que sou retrógrado. Retrógrado é censura à opinião alheia.”

Vieram mais depois:

- às 12:39, indícios de homofobia: “Nossa,que pessoa sensivel... Me poupe...”
- às 13:16: “Nao faço ideia quem seja vc e como vc veio parar na minha lista de contato,mas pode deixar q nao te amndarei mais emails.”
- às 13:20, enviando para a lista inicial de destinatários, mas não encaminhando todo o diálogo: “Urgente,Dilma presidente??? hahahaha essa foi tao engraçada qto a propaganda apelativa dela q a compara com lady di,anita garibaldi,madre teresa de calcuta... rkkk... só rindo pra nao chorar Onde estão as provas q ela lutou??? me poupe...”

Minha resposta final: “Você não falou que não ia mais mandar e-mails? Aliás, aproveite e mande para a lista toda o diálogo de antes dessa sua resposta, o qual continha, inclusive, agressões pessoais e um discurso levemente homofóbico. Forte abraço.”


Sensacional, não? Deslegitimam toda e qualquer opinião contrária, usam mentiras para arregimentar asseclas e ainda prezam a cultura do ódio, tão característica de um conhecido regime alemão que apareceu na primeira metade do século XX. A cada dia e a cada e-mail desses, fico cada vez mais convicto do que o Brasil precisa fazer no dia 31 de outubro. E você, vai colaborar para levar esses absurdos ao poder?

Em tempo: sugestão do amigo Fernando Ro"mano" Menezes para post do blogue Tudo em Cima - Boato na rede é crime!

4 comentários:

grouchomarxista disse...

Cara, andei pensando muito sobre isso também.

Arrumei umas praguinhas da Dilma, que agora tenho usado direto quando saio de casa.

E a manifestação do povo quando me vê declarando voto no PT é bizarra. Serristas, entre a perplexidade e o ódio puro. Nos dilmistas, algo de alívio - o eleitorado petista, pelo menos em São Paulo, tem se sentido acuado, intimidado mesmo.

E é exatamente por isso que ando no pique de agitar umas panfletagens - em momentos assim, mais que virar votos, a militância tem um poder simbólico, a coisa do pertencimento e da união.

Com este é semestre-sim, também escrevi sobre isso no grouchomarxista. Se quiser dar uma olhada, tá em

http://grouchomarxista.wordpress.com/2010/10/18/a-hora-e-a-vez-do-fascismo-leite-com-pera/

E vai Palmeiras!

Fernando Romano Menezes disse...

Cráudio, é denunciar quem te mandou esse e-mail da ficha falsa para o Min. Público ou para a Polícia Federal, porque espalhar acusações caluniosas é CRIME. Se liga nesse post do blog Tudo em Cima:

http://tudo-em-cima.blogspot.com/2010/10/boato-na-rede-e-crime-quem-espalha-pode.html

Craudio disse...

Salve, amigos. O que eu acho mais interessante nisso tudo é que há 8 anos a gente que é partidário e defensor do governo Lula recebemos um bombardeio de mensagens e ficamos ali, quietos, vendo o Brasil se tornar o país mais expoente do mundo atual. Aí, quando resolvemos nos manifestar, vem o tiroteio...

Esse meu relato e o de vocês são só uma pequena amostra do que essa campanha de ódio levada a cabo por José Serra rendeu. Bons eram os tempos em que a gente se metia a bater boca com malufista. Apesar de sarcásticos, eles não eram tão intolerantes.

Finalizando, não vivi 64, mas acho que 2010 está com ares bem piores.

Abraços a todos e DILMA NELES!

Fernando Romano Menezes disse...

É verdade, Cráudio. Essa tá sendo a campanha mais suja de TODAS. Fruto da intolerância, do ódio, de preconceitos que - por mais paradoxal e incrível que pareça - vieram com a redução da desigualdade social, num governo de esquerda.

Aí vemos que muito desse ódio de classe, de raça, sempre esteve na cabeça dos fascistóides. E tirar isso é mais difícil do que tirar 20 milhões de pessoas da miséria absoluta, como fez o Lula. Os preconceitos e ódios se arraigam na cabeça das pessoas de tal modo que não saem facilmente. Ou seja, enquanto estava a elite e a classe mérdia de um lado e a pobreza extrema do outro, "tudo bem"; gostavam dos pobres "em compota", longes, sem entrarem em aeroportos, universidades, sem "invadirem o espaço deles". Agora, quando se quis tirá-los da sua condição, aí não pode! Onde já se viu, essa ralé querendo ser iguais a nós? Ora, mas que absurdo! Pau neles!

Enfim, essa é uma eleição de princípios. Ou escolhemos continuar lutando contra a nossa desigualdade social, a favor do povo, da liberdade e da tolerância, e do Estado laico; ou voltamos a ser uma latrina global, onde vendem tudo e o último que sobrar, apagará a luz. E pior: com traços medievais. Seria o fim até da "era de ouro" da internet, onde você pode baixar o que quiser e não ir preso, como naquela proposta do "AI-5 Digital", de autoria de um parlamentar do PSDB.

Vai ver por isso a burguesada tá tão ouriçada. Dia 31 é Dilma 13, na cabeça.

E denuncia mesmo esses caras que te mandaram isso, Cláudio. Não deixa barato, não. Valeu pelo Ro-"mano", hehehehe ;)