11 setembro 2007

Vale, vale a pena


Vai com um teco de atraso, mas não poderíamos deixar passar. Completo meus 26 anos - foi no domingo último - em um mundo turbulento. Digo, e repito, que não pretendo passar dos 50. Passo, então, para menos da metade da minha vida. E vejo o que vejo.

Nosso mundo é só frangalhos. O governo que eu apoio - hoje já sem tanto ânimo - me dá umas vaciladas. A cidade em que eu vivo está entregue nas mãos de gente conservadora, reacionária e que quer, a todo custo, acabar com o pouco de alegria que tem o paulistano. O time que amo vive a pior fase de sua história gloriosa, refém de ladrões sem escrúpulos que deveriam ser banidos da face da Terra.

Muitas desgraças. Mas há as compensações. Completei meus 26 ao lado de grandes pessoas, e também junto da maior delas. Minha Evinha me encheu de mimos e alegrias - são dez, DEZ presentes até agora! -, além de fazer cada ano envelhecido parecer uma década de felicidade. Amigos poucos mas muito bons estiveram comigo, e pretendo reunir mais alguns no próximo fim de semana.

Aí eu entro hoje no blog do mestre Edu Goldenberg, que saca esse texto da cartola, ou melhor, da Tijuca, ilustre bairro carioca.

Vejo como ainda vale estar vivo em meio a tanta merda.


3 comentários:

evaodocaminhao disse...

quero surpreendê-lo mais e mais a cada dia

tomara que eu consiga

Ju disse...

como eu já disse no da Eva... muito bichinhas fofas vocês dois! hahaha

e sábado eu vou. nem vou sair na sexta pra não correr o risco de morrer de ressaca em casa e perder a balada! :)

Forza Palestra disse...

Fala, japonês!

Parabéns novamente!