28 janeiro 2008

O cheiro do Carnaval...


"Vou beijar-te agora
não me leve a mal
Hoje é Carnaval".

(Zé Kéti)

Dizem que algumas músicas nos remetem tanto a um período de nossa vida que a gente sente cheiro e vê luzes e cores ao escutar os primeiros acordes. Essa música maravilhosa de Zé Kéti, compositor magnífico, é minha canção para a folia de fevereiro. Apesar de falar de amor, não me faz lembrar de ninguém, mas sim da data especificamente. É o amor pelo Carnaval.

Lembro de, quando criança, ficar com um brilho nos olhos diferente ao ver aqueles bailes, aquele povo todo cantando marchinhas em blocos, as pessoas nas ruas alegres como um quê. E "Máscara Negra" é o símbolo de tudo isso para mim. Naquele tempo, não via a hora de crescer para, liberto, cair na farra.

Nesse ano, passarei (enfim) o Carnaval na Cidade Maravilhosa. É lá que, provavelmente, irei cantar à cidade: "Eu sou aquele pierrot que te abraçou, que te beijou". Mesmo nunca tendo pisado no Bola Preta (coisa classificada em email recente pelo mestre Edu Goldenberg como grave falha de caráter). Será o maior Carnaval do mundo e das nossas vidas - prometo, Evinha!

Há coisa de 10 anos, estava eu fuçando as músicas de Adoniran Barbosa (outro dos grandes). Deparei-me com a música "Vila Esperança", que me trouxe a mesma sensação de "Máscara Negra" - e que também me fez lembrar do filme "Bar Esperança", todinho ele envolto em confete e serpentina. Deixo aqui a letra para vocês.

Respirem. Cheirem. Vejam. Inspirem-se para a farra momesca.

"Vila Esperança,
foi lá que eu passei
o meu primeiro Carnaval
Vila Esperança,
foi lá que eu conheci
Maria Rosa, meu primeiro amor

Como fui feliz naquele fevereiro
pois tudo para mim era primeiro.
Primeira Rosa, primeira esperança
primeiro Carnaval, primeiro amor criança.

Numa volta no salão ela me olhou
Eu envolvi seu corpo em serpentina
E tive a alegria que tem todo pierrôt
ao ver que descobriu sua colombina.

O Carnaval passou,
levou a minha Rosa
levou minha esperança
levou o amor criança
levou minha Maria
levou minha alegria
levou a fantasia
e só deixou uma lembrança."

(Adoniran Barbosa)


2 comentários:

filipe disse...

João Rubinato, o famoso Adoniran, para mim, é o maior. Mas só por eu me identificar com sua Alma. E por ele gostar do Bixiga como eu gosto (meu berço, vou fazer o que?)

Esse da Vila Esperança é lindo. Uma boa análise rende assunto pra mil anos - se é que alguém além de mim se dispõe a analisar sambas...

E o da Iracema, então? Sem falar em Saudosa Maloca, com a sua continuação "Abrigo de Vagabundo"...
E uma professora de história da arte que tive em uma das faculdades que larguei pela metade me disse que nem Joca nem MatoGrosso eram ladrões... HAHA!!!
eu desbanquei a velha, que achava que conhecia o João Rubinato, apenas dando a letra do "Abrigo": "Por onde andará/ Joca e MatoGrosso/ os meus dois amigo, que não quis me acompanhá / andarão jogados na avenida São João / OU VENDO O SOL QUADRADO / na detenção..."

Que o casal tenha um maravilhoso carnaval na Cidade mais Linda do Mundo.

Fica o verso:
"Salve
o guerreiro da fé
cavaleiro guardião
A sua espada se levanta contra o mal
Sou Gavião
tenho garra vou à luta
conquistar meu ideal"

VAI GAVIÕES DA FIEL!!!

evaodocaminhao disse...

Você pensa que cachaça é água
Cachaça não é água não
Cachaça vem do alambique
E água vem do ribeirão

Pode me faltar tudo na vida
Arroz feijão e pão
Pode me faltar manteiga
E tudo mais não faz falta não
Pode me faltar o amor
Há, há, há, há!
Isto até acho graça
Só não quero que me falte
A danada da cachaça

(só espero isso deste carnaval)