07 dezembro 2010

Hora da Patrulha


É certo que muito da superlotação do trânsito em São Paulo se dá por conta da cabacice dos motoristas, a grande maioria deles um bando de despreparados para dirigir. As barbaridades pelas ruas a gente vê de minuto em minuto, basta lembrar dos posts "A bunda-molice" e "Guerra Santa no trânsito". No entanto, o outro pilar de sustentação dessa praga que são os congestionamentos atende pelo nome de Companhia de Engenharia de Tráfego.

Órgão mais odiado da administração municipal, a CET, por coordenar o bando de cabaços, sempre foi um antro de jumentos. Possivelmente, a especialização engenharia de tráfego nas faculdades da área seja a menos concorrida, pois não há outra explicação para haver tantos prejudicados cerebrais num único lugar. O problema é que essa característica tão marcante se intensificou a partir do alinhamento dos marronzinhos à brilhante dupla Serra/Kassab, que há seis anos vem devastando a capital paulista.

Antes canalha apenas tecnicamente, a CET passou a servir aos demo-tucanos como instrumento de retaliações políticas. Três meses atrás, instituiu-se que os caminhões ficariam proibidos de circular na Marginal Pinheiros. Festa na Chucri Zaidan, comemorações no prédio da Abril, o pessoal do Alto de Pinheiros (onde mora Serra), Jardins (onde mora o Kassab), Vila Olímpia, Brooklin, Berrini e Interlagos acharam um luxo. Só que além de não ter resolvido a questão da intrafegável e fedorenta beira-rio - porque você abre espaço para os carros e mais deles se deslocam para lá -, simplesmente abarrotaram as bordas da cidade de caminhões, justamente os locais em que essa escumalha vive tomando sonoras tundas eleitorais...

Descreverei meu caso para exemplificar melhor o que muita gente está passando todo dia. Meu caminho até o trabalho consiste em pegar a Av. Francisco Morato, depois Estrada do Campo Limpo e, finalmente, atravessar a Carlos Caldeira e Estrada de Itapecerica. Na volta, Carlos Caldeira, Giovanni Gronchi, Guilherme Dummont Villares, Francisco Morato e Eliseu de Almeida. Ou seja, é exatamente o desvio que muitos veículos pesados adotaram para fugir das multas e do agora congestionado e pedagiado Rodoanel.

Para quem conhece tais vias, fica muito claro como é absurdo elas receberem caminhões durante todo o dia (em especial a Estrada do Campo Limpo, cujo trecho entre o Terminal Campo Limpo e o cruzamento com a Carlos Caldeira é de pista única). Para mim, o resultado foi de dez a vinte minutos a mais no trajeto casa-trabalho-casa. Para grande parte da população dessas áreas que dependem de transporte público, o prejuízo é imensurável.

Mas é preciso fazer justiça. Nosso generalzinho mandou que a CET revisse o impacto da citada restrição no paupérrimo e miserável bairro do Morumbi, já que as madames da quebrada reclamaram muito. Por outro lado, Capão Redondo, Parque Arariba, Capelinha, Campo Limpo, Jardim Umarizal, Jardim Maria Sampaio, Jardim Ferreira, divisa de Taboão da Serra e adjacências, durmam com um barulho desses!

Notadamente, a gestão Serra/Kassab vai entrar para a história como aquela que tudo proibiu e nada deu de contrapartida ou solução. Trabalham para poucos, prejudicam a maioria e invertem a ordem de atuação do Estado na sociedade. No entanto, mídia e classe média - esta última também se fode, mas finge que não vê - acredita morar num vilarejo auto-sustentável da Finlândia.

Sorria, São Paulo.

6 comentários:

Fernando Romano Menezes disse...

"Notadamente, a gestão Serra/Kassab vai entrar para a história como aquela que tudo proibiu e nada deu de contrapartida ou solução. Trabalham para poucos, prejudicam a maioria e invertem a ordem de atuação do Estado na sociedade. No entanto, mídia e classe média - esta última também se fode, mas finge que não vê - acredita morar num vilarejo auto-sustentável da Finlândia."

Perfeito, Álvaro. Resumiu a "jestão" DEM-PSDB em um parágrafo. Sem mais.

Filipe disse...

Quem conhece as vias, sabe que você e a Zona Oeste inteira dependemos delas.

Obrigado, Samurai!

Craudio disse...

E ao invés de arranjar a vida do povo fazendo corredor de ônibus e metrô, meus senhores, os caras gastam 9 bilhões numa obra na Marginal que só serviu para devastar ainda mais a várzea paulistana...

Wayne Alf disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wayne Alf disse...

Eu achava que era apenas um único progressista que não via nos veículos o principal problema do transito de São Paulo.

Obviamente metro resolveria todo e qualquer problema viário.

Mas educação ao volante não só melhoraria o trânsito como faria cidadãos melhores.

Em tempo: o Morumbi é o lugar onde se concentra a escória da humanidade.

Fernando Romano Menezes disse...

Àlvaro, não. Cráudio. CRÁUDIO! Desculpa, aí, japa, acabava de vir do Não Pára de Lutar...