04 novembro 2008

A censura se expande


Os registros de censura pela internet brotam como espinhas em rostos adolescentes. Aqui por essa humilde e combativa rede de blogues, tivemos o caso do Cruz de Savóia, além de meu fotolog. Já o mestre Sérgio Amadeu denunciou a apreensão arbitrária de um servidor de pesquisadores da Unicamp. Mais recente é o apagão no blogue do delegado Roberto Conde Guerra, um dos pontos de referência na greve dos policiais civis e forte crítico da administração de José Serra. E teve ainda a famosa eliminação de Paulo Henrique Amorim do iG.

O jeito de agir é muito semelhante em todos os casos. Os interesses em jogo também. Tiram do ar, indiscriminadamente, todo o conteúdo do endereço. Arquivos, histórias, pensamentos, tudo vai para o espaço e vira mera lembrança, num ato embasado por argumentos frágeis. O Cruz de Savóia era "blog-spam", o meu fotolog "violou as regras de funcionamento", o servidor na Unicamp foi apreendido sem determinação judicial, no caso do delegado não se sabe o motivo e o PHA "não tinha apelo comercial" (sendo o Conversa Afiada a página mais vista do portal, segundo dados do próprio iG).

Tanto o pessoal da Unicamp - cujo trabalho era alimentar uma rede social de troca de informações - quanto os outros endereços tratavam de assuntos ignorados pela grande imprensa. Ignorância interesseira, obviamente. Havia sempre denúncias contra os poderosos conservadores e contra os aproveitadores que se utilizam da mídia subserviente e vendida, além da defesa de idéias que, ao senso comum, sempre foram tachadas de esquizofrênicas.

O que nos leva em direção ao projeto de autoria do senador Eduardo Azeredo, que tramita no Congresso e propõe um controle excessivo e desnecessário à internet. Para se ter uma idéia, será transformado em crime a troca de arquivos no esquema P2P, feita aos baldes pela rede. No mesmo balaio entram as restrições durante a campanha política desse ano, que retirou o caráter democrático da divulgação na web.

É preciso, por conta de tudo isso, um levante organizado contra esses abusos. A internet tem como principal característica sua liberdade de criação, expressão e formatação. Não é possível aceitar que um território ainda sem leis seja dominado pela mesma gentinha que já coloca suas mãos sobre a mídia tradicional e excludente. Porque é esse o principal objetivo do silencioso, sagaz e traiçoeiro cerceamento à informação: expansão de negócios via tecnologia.

3 comentários:

Raphael disse...

A vigilância contra o pensamento que se opões ao establishment está apertando seus tentáculos sobre nossos blogues, amadores ou não.

No meu caso (sei que no seu tb) isso só serviu para cutucar a onça com uma vara mais curta. Não vou dar trégua a essa sub-raça.

ClaudioYidaJr disse...

E o detalhe: o blogger é onde temos mais casos semelhantes ao seu. O blogue do delegado tb era blogspot.

Filipe disse...

NÃO à agenda política de destruição da alma do povo.

NÃO à alienação imposta, chutada de cima pra baixo e mentirosa.

VIVA O LEVANTE!!!

VIVA O CORINTHIANS!!!
(esse não pode deixar de ter, né)