05 fevereiro 2009

Festa na favela


Antes das observações positivas com relação ao jogo do Corinthians contra o Paulista, as cornetadas básicas. O que anda fazendo a zaga nos treinamentos? Onde está com a cabeça o André Santos (que ontem, segundo as estatísticas, não acertou um cruzamento de bola parada!)? Por que o Felipe não conseguiu chegar naquela bola do segundo gol? Como o Túlio era titular absoluto no Botafogo (ou isso explica o porquê de ter coisas que só acontecem com o Botafogo)? Lulinha e Souza?

Desabafo feito, vamos a algumas análises. Somos líderes invictos. Apesar de tudo. Apesar de muita torcida contra, de arbitragens para lá de ruins (não digo nem que esteja havendo má-intenção, os caras são ruins tecnicamente) e os abutres doidinhos para roer uma carniça que nunca existirá. Se a defesa, que em 2008 era a parte mais destacável no Corinthians, hoje está ainda perdida e sem tempo de bola, ao menos ela compensa as cagadas fazendo gols. Já que os responsáveis por isso não conseguem (e tome outra cornetada)...

Ao contrário do que muitos estão dizendo, a partida de Jundiaí foi a melhor apresentação do Coringão no ano. Jogo pegado, as duas equipes correndo barbaridade e atacando alternadamente. Até o intervalo, diga-se, o Paulista jogava muito mais. Porém, do outro lado há o Corinthians. E se Mano Menezes caga homericamente nas substituições
na maioria das vezes, ontem ele fez uma leitura tática perfeita e anulou os avanços do adversário, ao reforçar o meio com Diogo e Boquita (bela estréia do moleque, viu Lulinha?) e obrigando uma recuada do adversário.

Pela Band, aquele destemperado que comenta a arbitragem afirmou categoricamente: não foi pênalti e a falta do terceiro gol não aconteceu. Digo que esse senhor foi o mesmo que anulou aquele longíquo gol do Paulo Sérgio contra os leonores, isso na década de 90, ao bandeirar uma saída de bola inexistente na cobrança de escanteio. E reafirmo que as infrações aconteceram. Só carniceiro que não viu.

Pelo visto, as coisas vão começar a melhorar. Voltam Morais e Douglas, que darão qualidade na armação das jogadas. Volta também Jorge Henrique, que fará os gols que Souza perde. Sobre este ser, o lamento derradeiro: pensava que tinha me livrado do Errei-rá. Conseguiram arranjar um pior...

2 comentários:

Filipe disse...

Ah, abutraiada, anticorintianada de merda, bando de filhasdaputa sem limites, paridos pelo cu cheio de gonorréia de suas meretrizes, vocês só provam que o mundo sem CORINTHIANS não seria mundo, simplesmente.

E quem não for Corinthiano
Vá pra puta que pariu

Lara disse...

Bela, muita bela análise, por incrível que pareça pois isso não ocorre com frequência, concordo com o post inteiro.

Abraços alvinegros,

Lara