03 fevereiro 2009

A quem interessa?


Desde que voltou de seus 30 dias de férias, o Juquinha iniciou campanha ferrenha contra a realização dos campeonatos regionais. Defensor de toda e qualquer medida em prol da modernidade (com exceção da Copa 2014, porque o Lula não o nomeou Ministro dos Esportes), Juquinha usa seu espaço e os de seus subordinados para metralhar o que ele considera "baixa qualidade" nos jogos estaduais.

Primeiro que há um preconceito tremendo, rapidamente derrubado pelos horríveis jogos da Série A do Brasileirão em 2008. Se a qualidade técnica não agrada os olhos do seo Juquinha, ele que vá ao circo ou ao teatro. Aliás, a bem da verdade, não entendo o motivo da reclamação, pois é sabido que o pseudo-jornalista não pisa num estádio há décadas, apesar de insistir na carreira de cronista esportivo.

Queria saber qual a solução que o Juquinha dá para garantir a sobrevivência dos times do interior no período de ostracismo. Se por um lado ele prega a profissionalização total, inclusive com a adaptação do nosso calendário ao europeu, por outro não traz soluções para a inclusão e o fortalecimento do futebol no interior do país. E aí a gente chega no ponto crucial.

Juquinha não tem essa preocupação, pois está cumprindo ordens de nós sabemos quem. Tal campanha contra o Paulistão e demais estaduais é só para atender aos pedidos de borrifamento contra a Federação Paulista de Futebol. E qual foi o clube que, recentemente, fez beicinho para Del Nero e propôs a criação de uma (cinta) Liga paralela? É o mesmo e único clube que não possui cheerleaders nos gramados, apesar de sua loja fashion na Oscar Freire...

Para quem pensa que essa mensagem não encontra receptores, basta lembrar daquele teu amigo que enche o peito para falar que "não quer ganhar paulistinha, só Brasileiro, Libertadores e Mundial". É esse tipo de gente que também não enxerga a magia de um confronto como, por exemplo, um Juventus x Ferroviária na Javari. Ou de um Guarani x XV de Piracicaba no Brinco de Ouro.

Caso essa Liga paralela ganhe corpo, sugiro o retorno de todos os clubes paulistas à várzea. Dali viemos e ali é onde está a essência do jogo. O resto que realize seu sonho dourado e vá disputar jogos na UEFA.

5 comentários:

Mônikita disse...

Nossa achei o fim tb esse comentario dele.
Bom a bem da vdd que eu cansei de
cancelar a assinatura da Folha por causa dele ... rs

Filipe disse...

A prova de que ele está sempre a serviço da corja foi esse singelo enxertar do nome da corja no rol dos clubes que formam frente para captar recursos para os esportes olímpicos.

Digam: qual o atleta de remo, ou de basquete, ou de vôlei, ou de handebol, ou de natação, etc etc etc, que foi formado ali à sombra do privadão inóspito?

juca, você extrapola o ridículo da bambizada com seu servilismo.

Filipe disse...

Ah, sim: VOLTEMOS À VÁRZEA GLORIOSA, das formigas lava-pés.

Forza Palestra disse...

Faço minhas as suas palavras, japonês. E é interessante notar que todos os cronistas esportivos de maior repercussão na atualidade são aqueles que resolveram não pisar mais em estádios de futebol. E aí, com raras exceções, nego fica no ppv e resolve assistir a todos os jogos para parecer inteirado de tudo. O que não percebe é que, ao não ir aos estádios, ele simplesmente não vê nenhum jogo.
Abraços e Salve a Rua Javari!

gardano disse...

Realmente o JUQUINHA se acha o dono da verdade e acima do bem e do mal chega dar asco.
Por mais canalha que seja o LUXA ele também tem um ódio pessoal srrsrsrs que é base de suas crônicas atuais fazer o que né.
A mídia idolatra o cara