10 agosto 2009

Coisas do Corinthians


- "Não estamos mais falando em título. Não podemos contrariar os fatos. Há uma distância para os líderes que não permite mais isso. Não é mais possível brigar pelo título".

Alguém que dá esse tipo de declaração, francamente, não sabe o que é o Corinthians. Um técnico que precisa motivar uma equipe em reestruturação não pode falar isso para os abutres.

Na impossibilidade de dormir por conta de mais um resultado negativo e, pior, de outra apresentação pífia da equipe alvinegra no Maior do Mundo, sou obrigado a desabafar. Não entro no papo de soberania, coisa de gente que se refugia na vitrine, a fim de esconder a falta de história. Também não caio na cilada de pixações irresponsáveis, tão inoportunas quanto surreais, haja vista nosso desempenho no primeiro semestre. Tudo isso, no entanto, não tira a obrigação de ser sujeito homem e entrar em campo honrando a camisa.

É papel do treinador demonstrar a seu elenco o porquê de se pisar no gramado com vontade a cada partida, assim como dar tapa na cara de vagabundo que está fazendo corpo mole e tranqüilizar quem está afobado. Se vai assumir em público que seu elenco é limitado, mantenha a decência e diga que algumas teimosias pessoais (ou empresariais, de bizines, vai saber) também andam prejudicando.

O que eu acho é o seguinte: Chicão e Willian precisam treinar mais a bola aérea e não viver à espera eterna de um novo volante destruidor; Bruno Bertucci tem que saber que não há sombra e que não é preciso se afobar, evitando vacilos como o do gol flamenguista (aliás, uma repetição de um lance contra o time médio da baixada); Jucilei e Elias são os volantes, Edu o meia de armação; Dentinho, mesmo mal, é peça intocável no ataque; Bill=Otacílio Neto, e ambos um pouco menos ruins que o inominável. Futebol é simples, e invenções levam a grandes desastres. Declarações tiro-no-pé, idem.

Ao time, é bom começar a jogar bola! Ao treinador, cuidado com o que fala. Aos irresponsáveis alienados, a Libertadores só começa ano que vem. E à diretoria: fora! Assim são as coisas corinthianas no seu devido lugar.

Um comentário:

Guilherme disse...

Esse é o nosso pseudo-treinador , que é lambido pela mídia diariamente.

Esse mesmo treinador , que só dirigiu time pequeno e time na série B , e por ter um vocabulário extenso , por ter uma imagem de inteligente e por ser bem articulado leva todos os otários na lábia mansa e cauculista dele.

Tecnicamente desde que ele chegou ele é medroso , retranqueiro , covarde e treme nas calça em jogo grande. Passamos vergonha no Paulista de 2008 , empatando e perdendo em casa contra times ridículos , passamos vergonha na Copa do Brasil jogando como pequenos contra o poderosíssimo Sport.
Aí ganhamos 2 títulos porque tinhamos valores individuais que decidiam , vide Ronaldo , André Santos e Douglas. Tinhamos um time entrosado e motivado.

Agora após uma sequência de maus resultados e com 20 , eu disse 20.....20.....VINTE RODADAS PELA FRENTE , ele declara a todos que não dá pra ser campeão.
Eu nunca vi tamanho derrotismo e se apequenar tanto na história quase de 100 anos do Corinthians. Ele deveria ser demitido só por essa declaração.

Como fica a motivação dos jogadores , da torcida ???
Como você pode conduzir um grupo , uma empresa ou qualquer organização que seja , e você fala aos seus comandados que eles já perderam , que eles não vão conseguir ???

Só de memória rápida sem pesquisar , eu lembro em 2001 , nós viramos o turno do Paulista em último colocado , EU DISSE ÚLTIMO COLOCADO. E o Luxa fez uma revolução e fomos Campeões em cima do Botafogo de Ribeirão