11 agosto 2009

A tristeza de um povo


Aqueles que amam e vivem o futebol estamos todos sensibilizados com a tragédia ocorrida no último domingo, lá no Recife. O grande, o gigante Santa Cruz foi desclassificado na primeira fase da quarta divisão do Brasileiro e sua torcida coral amarga uma dor que os corinthianos conhecemos bem. Trata-se de um misto de impotência, indignação e desespero, uma sensação que aperta o peito e que parece nunca ter fim.

O Santinha é a representação máxima do povo pernambucano e, lendo sobre sua história, é possível encontrar algumas boas semelhanças de trajetória com o Coringão. O Santa Cruz, antes de ser tricolor, foi alvinegro em seu primeiro ano de existência. Além disso, carrega na alma a força de quem nunca se deixou levar por imposições de madames e, teimosamente, fortaleceu-se à base do sangue nas veias.

Não podemos deixar passar, portanto, a oportunidade de dizer: FORÇA SANTINHA! Você é grande, maior do que muito time considerado tradicional aqui nas terras baixas. Também é preciso lembrar que, independentemente de problemas internos que possa ter, um gigante desse porte passar apuros na quarta divisão é pura conseqüência da elitização e modernização do esporte. É essa merda de campeonato de pontos corridos excludente que tenta assassinar um clube responsável por média superior a 40 mil pessoas na maioria dos jogos, ao mesmo tempo em que cria hegemonias baseadas no oportunismo e na frieza.

Para saber mais sobre o Santa Cruz, visite o Blog do Santinha e o Santa Cruz desde 1914.

4 comentários:

Filipe disse...

Para ver como estamos concatenados; acabei de ver a reportagem da abutraiada no globoesporte.

Sinceramente?

Quase chorei. Só por causa da semelhança.
Enquanto isso, aquela merda de spór segue com seu beltrão... não por muito tempo...

Daniel Damásio disse...

Fala, Japa! Este tsunami que a torcida coral tem a ver com a cidade em que eu estou. Simples: as duas derrotas que o Santinha sofreu foi para o Sergipe (o mais povão daqui de Aracaju). Na ida deu 1x0 (fui ao campo assistir) e na volta foi 2x1 diante de 40 mil pessoas. Só sei que por aqui tanto abutraiada quanto a torcida do "Vermelhinho" (que completa 100 anos em outubro e perdeu duas finais este ano) ficou mordida com esse fator torcida do Santa Cruz. Com público razoável chegaram a ficar pau a pau, mas os rubros eram os mais empolgados. Mas nenhum dos dois é como a nossa Fiel.

Daniel Damásio disse...

Pois bem. Na negra da rodada, o Central (PE), que terminou a primeira fase invicto e com um time arrumado, ganhou de virada no Batistão por 2x1. Aí ficaram Sergipe e CSA (AL) com 7 pontos. Os rubros avancaram no saldo de vitórias (2x1). O Santinha só precisava de uma vitória contra os azuis e secar o Sergipe. Empatou de 2x2. Aqui ficaram super aliviados, mas lá é como você falou. Um clube da estirpe e da torcida do Santa Cruz não merece.
Falô, Japa!

Forza Palestra disse...

Pois é, meu caro, muito triste que isso aconteça. Muito mesmo. E é um pouco a demonstração de tudo o que dizemos sobre o rumo que vem sendo tomado pelo futebol brasileiro.

A esperança, japonês, é que o Ixpót tem tudo para cair desta vez. Já seria um bom começo.