09 novembro 2009

O modorrento campeonato de pontos corridos


Então estamos a quatro jogos do fim de mais uma edição do Campeonato Brasileiro por pontos corridos e eu me pego aqui pensando como é pública e notória a aversão a esse tipo de disputa por parte de qualquer torcedor que se preze. Até mesmo entre os leonores - grandes beneficiários da fórmula, já que todos os argumentos utilizados para justificar tal europeização babaca do esporte batem com as mentiras propagadas pelos bambis quanto sua "organização e modelo administrativo" - existe gente esclarecida que, apesar do desvio clubístico, gostam e defendem as coisas acontecendo da maneira mais honesta possível.

O Corinthians, por exemplo, entrou em campo no último domingo para não fazer nada. Os vagabundos resolveram, por conta disso, jogar um pouquinho de bola e, talvez, compensar os extorsivos R$30 de arquibancada que deveriam custar um sexto desse valor. Relação de mercado com a nossa razão de viver à parte, ao final da rodada a tabela nos mostra a 10 pontos do líder, o que leva qualquer corinthiano se indignar com os 11 pontos perdidos em casa de maneira imbecil e displiscente.

Vejam que, sem nenhum esforço, o Timão poderia estar hoje com uma mão na taça. De saída, isso elimina aquele negócio de "justiça" e "do melhor sempre ganha" que vendem como essencial para determinar quem é campeão. Tenho para mim que um título é a conjunção de diversos fatores e a graça do futebol é a certeza de que nem sempre o melhor vence, ressaltando também que a definição de melhor é bastante subjetiva. A partir dessa constatação, vamos usar o gol como ápice do esporte e, portanto, deveria ser fator determinante ou prioritário para estabelecer o tal melhor nos pontos corridos. Pois bem: o grêmio, até agora o melhor ataque da edição 2009 com 59 gols marcados, ocupa apenas a 9ª colocação. Onde está a justiça?

Os pontos corridos, grosso e injusto modo, são a reunião de certa casta cujo critério de seleção é o poder econômico, e seus membros se revezam nas vitórias numa espécie de política do café-com-leite que vigorou nos primeiros anos republicanos deste Brasil. Por outro lado, as finais são nada mais do que a democratização pura e simples. É a CLT, é o povo se equiparando à elite e tendo chances reais de se sobrepor pela vontade, pela raça e pela valorização da alma e seu orgulho de ser povo.

Afora a ideologia, há outras questões em jogo. O atual tri-campeão do troço vem sendo beneficiado, desde 2007, em partidas com poucos holofotes - confira os dossiês aqui e aqui. É um pênalti não marcado contra um time do nordeste aqui, um gol impedido (na verdade foram vários) contra um paranaense ali, uma expulsão não dada acolá e, quando nos damos conta, os pontos se acumulam exponencialmente na tabela. Em contraposição, se um juiz errar, propositalmente ou não, num confronto direto, ele e a referida mãe serão lembrados por décadas...

Enfim, meus caros, a fórmula modorrenta de pontos corridos é uma bela desculpinha para que a modernização nociva chegue com mais força às terras tupiniquins e se espalhe como uma praga pelo ideário do torcedor. Não vou nem apontar incoerências como a defesa e a legitimação desse tipo de disputa pela mídia golpista, ao mesmo tempo em que ela exalta Libertadores, Copa dos Campeões da Europa e Copa do Mundo, todos eles campeonatos no sistema mata-mata. Afirmo categoricamente, porém, que os malditos pontos corridos forçam times como Bahia e Santa Cruz passarem por maus bocados e avaís e barueris da vida serem louvados.

Voltando ao nosso umbigo, o corinthiano pode imaginar o time jogando o que jogou na última apresentação e chegando numa quarta-de-final justamente contra a freguesa? Como não seriam interessantes essas partidas? Pelo contrário, os pontos corridos são tão nocivos que institucionalizam o anticorinthianismo ao incentivar nossa torcida a cogitar abrir mão da vitória contra o rubro-negro carioca ou contra o galo mineiro só para evitar alegria a rivais ou inimigos.

Não seria muito mais decente se tudo isso fosse resolvido dentro das quatro linhas?


---------------------

Em tempo: tive de ler e escutar muita gente me chamando de louco por conta da indignação com a arbitragem no último clássico, principalmente no pênalti não assinalado em Dentinho que EU VI NO ESTÁDIO. Tive a calma necessária e afirmei que, apesar do assalto em Prudente/MS, não jogamos o necessário para vencer o clássico porque era preciso mais dedicação, inclusive contra o apito. Abro espaço para quem me julgou há uma semana reconhecer, primeiro, que o Corinthians fez sua parte e contribuiu e muito para que o cachorro continuasse mijando no poste e, segundo, que ditados populares são sábios: nada como um dia após o outro.

Sobre a "organização" que prometeram com os pontos corridos, o Barneschi desmente essa balela com sua corriqueira genialidade.

6 comentários:

Sandro disse...

Puta que pariu, que blah blah blah dos infernos, é patético ver as comadres do futebol paulista darem as mãozinhas, e juntos fazerem uma espécie de cruzada contra o São Paulo Futebol Clube.
Me diz uma coisa, até quando o senhor se comportará como um verdadeiro papagaio da "mídia palestrina"????

Filipe disse...

Impagável o momento pós-jogo de ontem, meu caro, quando ouvimos o porquinho hipócrita e chorão falando sobre "erros de arbitragem" (CADÊ O muçolininho???), saboreando uma brahma gelada e descendo a Rebouças gritando palavras de ordem.
Muito obrigado, meu camarada!

Estes momentos nos dão VIDA!

Mano, linkei e comentei no post que vai ao ar logo mais no AnarCorinthians.
Mas desde já lhe agradeço pelo pensamento corretíssimo aqui exposto.

VIVA O CORINGÃO!!!

Bruno Ferraz (sOUL) disse...

Cara.. hahaha.

Eu ri demais!

Quando elas são beneficiadas não reclama quando perdem o jogo, daí o juiz é covarde e tudo mais, é o que o FIlipe falou, Mussolini de novo vai dar o rabo para o Hitler.

hahaha.

E o Coringão? Jogou bola, mais uma vale puta pro gordo?!

Abraço Claudião! Concordo com você, detesto os pontos corridos!

Claudio Yida Jr disse...

Olha a bicharada aí, gente!

Claudio Yida Jr disse...

Filipe, usando mais um velho ditado: a justiça tarda mas não falha. Um domingo depois, aliás, nem é tão tarde assim.

Brunão, os vale-puta do Gordo estão suspensos até que ele passe a jogar de novo os 90 minutos. Apesar dos gols que vem fazendo, nada justifica sua postura basal. Abraço!

E esse bambi com a bunda incomodada por aqui só demonstra que tudo o que eu falei é correto e ajuda certa casta corrompida.

Filipe disse...

E o mais comédia é que essa da bundinha incomodada fez o "perfil", para poder comentar aqui, hoje mesmo. Resta saber se para essa merda humana era tão importante arrotar tanta besteira e alienação, ou se o faz apenas para praticar o spam, característico dessa escória.

No mais, o droopy deu chiliquinho para o boletim de madame.
Comédia. Pura comédia.

À merda, anticorintianada!

VIVA O CORINTHIANS!!!