27 novembro 2009

Sujo e o mal-lavado


Coisa rápida. Outro dia, incitei os amigos a desmoralizar aquela eleição babaca da Aceesp, nada mais do que uma celebração da pior casta na imprensa brasileira. Enquanto isso, um talzInho começou a puxar o saco do presidente da referida Associação depois de
umas denúncias sobre venda de carteirinhas, provavelmente com a intenção de tentar alguma vantagem em coletivas e eventos. O resultado do cortejo foi um fatality em forma de nota oficial, muito parecido com o que havia levado do técnico Mano Menezes no último fim de semana.

Mas o que eu quero dizer é o seguinte: trata-se do sujo falando do mal-lavado. De um lado temos um irresponsável babaca, uma boca de latrina servindo dois perversos do futebol (em tempo, a voz da verdade e o padrinho da Cincinato Braga). De outro, há uma entidade estéril que não fiscaliza a atuação da mídia esportiva e, portanto, abre alas para a atuação desses irresponsáveis.

Abaixo, reproduzo um resumo das melhores frases nessa briga de ratos.

- Inho: Ricardo Capriotti mudou a cara da ACEESP que sempre foi dominada pelo que de pior existia no jornalismo. Gente como Flávio Adauto e Sérgio Carvalho, asseclas de um sistema corrompido, que por anos beneficiou os que agiam como eles.

- Aceesp: Com a pretensão de solidarizar-se com a Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo e em especial com seu presidente Ricardo Capriotti e com o conselheiro Paulo Calçade, em razão de criticas (sic) e denúncias revanchistas de pessoas que foram expulsas de nossa Entidade, o blogueiro Paulo Cezar de Andrade Prado excedeu-se e atingiu grosseiramente os ex-presidentes Flávio Adauto e Sérgio Carvalho, que durante várias gestões prestaram relevantes serviços à categoria e à própria Associação.

- Inho: Estou bem à vontade para falar de Calçade. Além de nunca ter falado com ele, sei que não é admirador de meu trabalho.

- Aceesp: Por termos a absoluta certeza de que as acusações são levianas, inadequadas, antiéticas, desrespeitosas e sem o menor fundamento, as repudiamos veementemente. Atitudes desse nível só servem para depreciar e desacreditar a honrada classe dos cronistas esportivos.

- Inho: Os profissionais de imprensa que desejam dar um fim a esta situação precisam deixar de se omitirem e cobrar das autoridades competentes a punição a esta quadrilha.

- Aceesp: Lamentavelmente, o credenciado Paulo Cezar demonstra desconhecer a história de lutas de nossa Entidade e os relevantes serviços prestados pelas administrações que antecederam a gestão atual.

Um comentário:

Mario Sergio disse...

Esse tal de "Inho" precisa de ajuda profissional. O problema dele é patológico. Já tentei fazer um comentário dizendo isso no blog dele, mas ele censurou.