09 março 2009

Nível


Passada toda a euforia do clássico do domingo, se faz necessária a descrição de um fato ocorrido enquanto o jogo comia solto, lá no buteco onde vi a partida. Relato da minha Evinha, que logicamente preferiu prestar atenção nas pessoas ao meu redor - e ainda mais na reações dessas pessoas aos impropérios que eu costumo verbalizar quando vejo o Corinthians longe dos estádios.

Disse ela que rachou de rir com o comportamento de uma moçoila incomodada e ruborizada a cada palavrão que saía das bocas corinthianas. Era uma moça daquelas que a gente encontra em shoppings ou pela Oscar Freire, que vota 45 e que acredita piamente nas palavras de Paulo Coelho e Diogo Mainardi. Após o gol fenomenal, a nojenta estourou de indignação e cochichou ao ouvido do namorado, um manso que já havia sido chamado de "sócio" por um gaiato:

"Ai, amor. Eu não entendo isso. Pra que tanta agressividade, tanta loucura. É um baixo nível, né? Ainda bem que nós somos palmeirenses e temos um nível mais alto"...

E aí eu faço referência e presto solidariedade ao amigo Cruz de Savóia. Porque ontem, depois de reconhecer o poder de recuperação de Ronaldinho e lamentar o empate com sabor de derrota para os verdes, teve que agüentar fogo-amigo, com indignações como as da moça aí de cima.

Traçando um paralelo, tenho pelo goleiro Marcos uma grande admiração. Mesmo sendo o responsável por uma das maiores tristezas da história alvinegra (assim como muitos de nossos craques fizeram os rivais amargarem grandes derrotas), não podemos negar que Marcão ama a camisa que defende - infelizmente ele trocou de lado e, ao deixar Oriente, esqueceu seu manto alvinegro. Fora isso, o arqueiro fez SÓ aquela Copa impecável em 2002, tem caráter e, provoquemos, levou aquele gol do Manchester. Por tudo isso, Marcos, assim como Ronaldinho, é alvo de fãs mundiais, independentemente de onde esteja jogando.

Já levei chapuletadas do nosso lado por dizer isso e o Cruz apanha desde ontem por sua opinião sobre R9. Quem faz tais críticas, geralmente, são pessoas que pensam igualzinho à moça e infestam todas as torcidas. Gente que não consegue canalizar o radicalismo - essencial no futebol, diga-se - para onde ele deve fluir. Eu não sou menos corinthiano e Cruz não é menos porco por reconhecer certas coisas que até uma pedra reconheceria.

Mas nós não temos nível...

15 comentários:

cruzdesavoia disse...

Obrigado pela força - e por entender aqueles posts. Abs!

Forza Palestra disse...

Nível?

Bom, vejamos o que é nível. Eis aqui uma notinha que saiu na Mônica Bérgamo - que vive em um outro mundo, diga-se - da última sexta-feira, 6 de março:

CARGA PESADA
A SPTrans bateu o pé e negou o pedido dos moradores e comerciantes da rua Amauri, famosa pelos restaurantes caros, para tirar as quatro linhas de ônibus que circulam por ali. A empresa diz ter feito análise com a CET e afirma que os coletivos estão em "local adequado". Os restaurantes reclamam de que os ônibus atrapalham os serviços de valet e buzinam na cola dos motoristas que param os carros.


Certo, certo. Quer dizer que os ônibus atrapalham a vida dos motoristas que chegam de BMW e deixam o carro na mão de um valet vagabundo antes de gastar R$ 300 num almoço, é isso? Não seria o contrário? Não seria a elite filha da puta que atrapalha a vida do nego que está de passagem ali em um ônibus para chegar ao trabalho?

É pena que o meu blog seja tão segmentado, porque isso aqui daria um bom post...

Abraços

Claudio Yida Jr disse...

Cruz, é nóis!

Barneschi, o troço é nojento. Pior que esses caras pensam que estão certos. Mas pode deixar que eu vou repercutir isso, até porque tem uma boa leva nesse tom...

Filipe disse...

Pode até ser que eu não me faça entender, mas quando fundaram o Palestra, no salão Alhambra, a proposta inicial tinha justamente a ver com esse tal "nível".

Quanto à moça citada, se ela estava onde estava, esperava o que? Ou teria sido apenas arrastada pelo manso, que quis mostrar certo "nível" por onde não deve?

No mais, essa coisa do Itaim, trazida pelo Palestrino, é emblemática demais.
Os ônibus buzinam na cola dos "consumidores", fazem barulho!!! É preciso manter o nível no local...

Bruno Ferraz (sOUL) disse...

Eu ja passei algumas vezes de Onibus nessa rua ae, e o busão não buzinou.. e se buzinar, que se foda, se o restaurante não quer ouvir buzina, que coloque vidros antirruídos(anti-ruídos) ora bolas.

E sobre o Nível, eu tenho esse problema cara, porque quando o Corinthians entra em campo, eu sou outra pessoa, eu não escuto ninguem, eu falo palavrão pra caralho, e mando toma no cú qualquer um que me torrar o saco, hahahaha.. e o nível que se foda..

E o Paulo Coelho que se foda também.

hahahaha

Vai CORINTHIANS !

Abraço Claudião.

Claudio Yida Jr disse...

Totalmente entendível, mas só reitero que esse tipo de gente tem em todas as torcidas e em todo lugar. Naquela época, talvez, a intenção era totalmente diversa - possivelmente de auto-preservação e proteção da identidade. Hoje é canalhice pura.

Ah, e tinha uma outra, uma carioca que deve ter ficado brava quando eu gritei que o Jorge Henrique era "um carioca perna-de-pau de merda que só podia ser ídolo de um time como o Botafogo" hahahahahahahhaha

Claudio Yida Jr disse...

Brunão, eu acho que, a partir de agora, todos os ônibus que passarem por essa merda de rua deveria dar uma buzinada a cada 10 metros transitados.

pehnatabua disse...

Eu quase atirei meu tênis na tv de lcd da minha namorada (sim, qdo percebi, estava com ele na mão) quando o R9 acertou a trave e acordei meu sogro com o gol do mesmo R9. Sim, sei do que você fala.

Bruno Ferraz (sOUL) disse...

eu moro em apartamento né cara, moro no 3º andar, e a churrasqueira é quase embaixado da minha sacada.
Domingo tava tendo churrasco na hora do jogo, no gol dos porcos, mó baderna lá embaixo, o que me irritou um pouco, beleza...
Quando o Ronaldo marcou a minha primeira reação foi pular do braço do sofá, e gritar, Gol.. Gol do Gordo, sai correndo pra sacada aos berros " CHUPAAAAA PORCOOOO, CHUUUUPA FILHO DA PUTA.."
se os vizinhos gostaram ou não, problema deles, é claro pra quem é sensato, que isso não é uma ofensa, é coisa de jogo, é força de expressão..

hahahaha
vixi cara, já vi meu Vô Joga televisão escada abaixo, vendo o Corinthians, ja fiz coisas inimaginaveis.. aheiuahehae

abração Mano.
Devia ter uma Buzinaço nessa porra dessa Rua, um buzinaço Organizado, fazia questão de comparecer, e dar o meu apoio..

Filipe disse...

Já que se fez a questão, caro Porta-Voz, naturalmente que esse tipo de gente infesta tudo e todos os lugares.
Porém, no caso citado, havia pelo menos uma pessoa comprovadamente deste tipo, e é tido como um dos fundadores, com os mesmos propósitos referidos como sendo de hoje em dia, e justamente contra o Corinthians Paulista, que era justamente o "abaixo-nível" para esta referida pessoa-fundadora.

Claudio Yida Jr disse...

Claramente, talvez fôssemos o MST da época, contando com nosso Gilmar Mendes de plantão.

evao do caminhao disse...

bom, o salame tava incrível

ai, gente... assim até dá pra assistir o jogo, né amor...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Rafael disse...

Mais uma alienada. Dá até pena desse pessoal que acha que tem um nível melhor.

E se um dia eu passar de carro por essa rua, vou me lembrar de dar umas buzinadas.

pehnatabua disse...

Já incluí a rua Amauri no meu itinerário (mesmo não tendo o menor sentido passar por lá, o farei sempre que possível). Podíamos pegar um dia e fazer um buzinaço lá. O que acham?

Claudio Yida Jr disse...

Daria um ótimo flash mob.