11 maio 2009

Irresponsabilidade fora de hora


Antes de falar da cagada do Mano Menezes neste domingo das mães, voltemos um dia antes para falar sobre o "treino" que marcou a estréia da nova camisa do Corinthians. Foi algo como um baile da ressaca, em que estavam presentes 97% de zicas e sofás. De bom, deu para perceber quem tem e quem não tem bola pra jogar no Timão. Souza faz parte do último grupo e isso foi provado (de novo) contra as moranguinhas do sul. Nem em recreativo ele consegue sair de trás do zagueiro. Outra coisa importante foi o copo d'água jogado contra um abutrinho que trajava a cor inaceitável. Há certas tradições que devem ser mantidas...

De mal, o que mais me surpreendeu foi que eu, e somente eu, gritei em protesto contra os R$30 cobrados pela arquibancada. O bonachão Mario Gobbi ouviu, e muita gente lá ouviu também. A maioria dos festeiros dispensáveis, no entanto, silenciaram. Oras, que situação melhor para se cobrar e cornetar quem deve ser cornetado, senão um treino despretensioso como esse?

A falta de compromisso do evento continuou neste domingo, e partiu do banco de reservas. Tudo que podia ser dito foi dito pelo Filipe. Se querem estabelecer uma relação mercadológica com a Fiel, então por que cobraram R$30 para vermos um time reserva? Posso mandar um e-mail pedindo o reembolso da metade do dinheiro?

O mais irritante, porém, não é perder 3 preciosos pontos e a oportunidade de desmoralizar aqueles que, há menos de dois anos, se uniram aos principais rivais (trocando beijinhos em camisas) e agiram contra o Coringão. Dói aos ouvidos corinthianos escutar desse treinador que Souza e Lulinha foram bem. É lutar contra os fatos, contrariar o óbvio. Só pode estar mal-intencionado alguém que defende um jogador sem capacidade de dominar uma bola. Eu só quero saber, seu Mano, se iremos buscar esses pontos desperdiçados lá no Beira-Rio.

Sobrou para Nilmar, esse serzinho sem alma e vontade própria que, no ímpeto de satisfazer empresário, aproveitou a onda e também quis pisar no Corinthians. Fez um belíssimo gol (em cima de uma zaga reserva), mas na saída do Pacaembu ouviu belos mau-agouros também deste que vos fala, todos eles direcionados ao seu joelho de porcelana. Novamente, seguimos apenas a relação de profissionalismo, mercantilismo e modernidade que tanto pedem. Nada pessoal, apenas defendemos nossos interesses.

Que o time resolva a classificação para a semifinal da Copa do Brasil já nesta próxima quarta. Só isso irá justificar a postura irresponsável do técnico na estréia do Brasileirão. Caso contrário, é bom começar se preparar para a pressão...

6 comentários:

Craudio disse...

Em tempo, e ainda falando sobre os ingressos:

A campanha da Nike chama-se "Vamo Invadir". Durante a apresentação da nova camisa, esse foi o mote, e eu lembrei que foi aí que me indignei ao ponto de gritar contra os R$30.

Como a torcida "vai invadir" se a arquibancada está a esse preço (e laranjas e numeradas ainda mais caras)? Ou devemos levar essa frase ao pé da letra???

Filipe disse...

Essa campanha, caro Porta-Voz, calca no senso-comum que reza o seguinte: Corinthiano fala errado. "Vamo invadir" é a puta que pariu. A Torcida fazer faixa com esse erro é uma coisa, e é legítima - "Tamo de volta", quando subimos, lembra? Agora, "aproveitar" mercantilisticamente, e seguindo esse erro de conduta que você comentou aqui nesta caixa, é o fim da picada.

Na capa da trolha de hoje está o lance crucial para a menina-marionete dos joelhos de porcelana ter tido sua jogada apreciada por uma zaga de merda; a merda está lá, tentando dar uma tesoura na meia-lua da nossa área, tesoura esta que, não bastasse a quase-intenção de quebrar o adversário com deslealdade, SEQUER COMPLETA A INTENÇÃO. Pra que, então, termos um zagueiro que não sabe marcar, não tem intenção alguma e sequer faz o necessário - a saber: MATAR A JOGADA. A mesma lógica que aplico ao filho da puta do souza, aplico a esse jean.
Reitero ainda que não era necessária uma tesoura desleal, bastava um ombro-a-ombro, qualquer coisa assim. Agora, nem acompanhar uma menina esse ex-bambi consegue. E ele foi crucial para a jogada, depois dele a menina já estava na área, e a falta caleria um penalti, eis a razão de Diego e Diogo (não sei se nesta ordem...) term peidado também.
Aliás, uma defesa que toma um gol desse merece ser demitida, seguindo a lógica empresarial-mercantil-consumidora desse filho da puta de presidente em exercício.

AQUI É CORINTHIANS!!!

Claudio Yida Jr disse...

A apropriação indebta de "produtos" da torcida é coisa comum dessa diretoria de merda, haja vista as camisetas com frases vindas das arquibancadas. Aliás, é assim que essa diretoria premia a arquibancada: aumentando o ingresso duas vezes, em menos de seis meses.

Sobre o ex-bambi, não pode ser mera coincidência a gente perder 3 pontos toda vez que ele entra...

FORA CORJA!

Guilherme disse...

Como descobri a pouco o blog Anarcorinthians , o seu blog veio de tabela e outra ótima surpresa.

Comentarei sempre que possivel , mas a leitura vai ser diária também.

Aqui se segue a mesma ideologia Corinthiana-Política-Ideológica de lá e bate com a minha também.


Sobre o jogo de ontem ,mais uma vez perdemos um jogo importante pela inexperiência e pela complicariedade habitual desse nosso técnico , que na minha opinião é indigno de comandar o maior clube desse País.

Abraçando com as 10 essa ideinha propagada pela mídia de que tem que poupar jogadores o Mano além de fazer isso ele escalou o Time B , e além disso também o que vimos foi mais uma vez um time retrancado , medroso , afoito , péssimamente escalado e sem padrão e tática nenhuma.

Daria muito bem pra botar os titulares , porque ´dá muito bem pra jogar quarta e domingo tranquilamente , ainda mais porque o próximo jogo é em casa e não precisa viajar.

SIMPLISMENTE RIDÍCULO ESSE NOSSO TÉCNICO.

O Souza é fraco , mas se ele jogar ao lado de bons jogadores ele sobe de produção , agora jogar ao lado daquilo que vimos ontem é osso.





SOBRE OS INGRESSOS:
Na minha opnião se trata de uma varredura etnica-econômica . Onde a lei é feita para os Consumidores Playboys e vai excluindo gradativamente a verdadeira fiel dos estádios.

Para um torcida que "FEZ" esse clube ser o que é é uma traição sem limites.

Ainda bem que temos uma parcela da verdadeira fiel que resiste e deixa até de comer pra representar na arquibancada.
Até quando eu não sei.

Claudio Yida Jr disse...

Fala Guilherme, seja bem-vindo. Eu achava que o técnico tinha tomado consciência do que é o Corinthians durante o mata-mata do Paulistão. Porém, vi que foi apenas um ponto fora da curva. De verdade, espero que ele nos traga o título da Copa do Brasil, senão o bicho vai pegar...

Dos ingressos, não há como ficar omisso. Porém, há algo de muito silencioso nesse caso e eu gostaria muito que minhas desconfianças fosse apenas ilusórias.

Abraços!

Guilherme disse...

Valeu Claudio,

Sobre o Mano eu também achei isso dele durante os mata-mata.
Mas quem nos fez ganhar os mata-mata foi pela ordem:

1- A fiel
2- Nossa mística em mata-mata
3- O Gordo e o resto do nosso ótimo time titular.

O Mano dessa vez só não atrapalhou.


Falowww !!!