25 maio 2009

A voz do povo é a única voz


Quando tratamos aqui do primeiro aumento nos ingressos corinthianos, minha postura foi bem clara. Não havia motivo para desespero porque o reajuste das arquibancadas havia sido mínimo e o custo R9 repassado aos abastados das numeradas. Justo, até porque eles não comparecem em todos os jogos e, por terem maior poder aquisitivo, devem sim pagar pelo "espetáculo" que tanto enaltecem. O povão das arquibancadas, ao contrário, vai lá para ver o Corinthians...

Infelizmente, o resquício de câncer que ficou nas salas ar-condicionadas do Parque São Jorge tomou uma desastrada decisão e, assim que levantamos invictamente a taça do Paulistão 2009, subiram junto as entradas dos arquibaldos, assaltados em inviáveis R$30. Acendeu-se, então, a luz de alerta. Foi a segunda majoração em menos de seis meses, sob a desculpa de se manter um "elenco de nível". Elenco de nível se mantém com patrocínios e venda de diversos serviços e produtos. PRODUTOS que não o jogo de futebol, elemento social que não pode nunca ser comercializado.

O processo sobre o qual a gente vem falando aqui desde 2007, com a confirmação da Copa do Mundo no Brasil, atingiu seu ápice na agenda alvinegra. Esses aumentos consecutivos nada mais são do que a explicitação desavergonhada da elitização do esporte, que irá afastar de vez aqueles que são apaixonados pelo Corinthians, mas que não mais conseguirão pagar o que pedem pelo ingresso.

Curioso mesmo é o silêncio daqueles que, no começo do ano, resolveram fazer escândalo por terem sido "prejudicados". No último sábado, em que a arquibancada estava cheia e deu o seu recado à diretoria, as cadeiras laranjas, numeradas e setor vip estavam às moscas. A mensagem é muito clara para mim. Enquanto nosso pessoal do cimento dizia "apesar de você e de estarmos sendo roubados, comparecemos e vamos protestar", a moçada das cadeiras se omitiu e não fez a sua parte, como também nunca faz quando está presente em Templo Sagrado.

Portanto, antes de encherem a boca para nos chamar de marginais ou então requisitar tratamento semelhante ao do povão sofrido, façam vossa parte. Sejam corinthianos de fato e pensem na maioria. Até o momento, o verdadeiro corinthianismo continua vindo daqueles que menos têm (ah, essa nossa essência!), agindo, inclusive, em prol daqueles que nos combatem com essas atitudes preconceituosas e/ou omissas.

--------------------------------

No mais, quarta-feira é Rio. Ingresso na mão e preparando a voz com cachaça. Quem for, manda um e-mail para o caso de se trombar no aeroporto ou no Maraca.

VAI CORINTHIANS!


6 comentários:

Filipe disse...

Perfeitamente, Porta-Voz. Não é de hoje, não vai terminar amanhã; mas enquanto a bundamolescência predominar, será isso. Ou se toma vergonha na cara, entendendo que isso é nosso, ou até 2014 todos nós teremos que nos acostumar em assistir futebol na telinha do plim-plim, no sofá de casa, sendo bombardeado pela calhordice alienante. Aliás, já repetimos tanto isso...

Mônikita disse...

Claudio

Não concordo com a sua postura em relação as numeradas.
Eu sinceramente acho que vc generaliza demais e assim parece que eles são os inimigos.
O que não é verdade ELE SÃO CORINTHIANOS.
O fato de poderem pagar a mais ou quiserem ir lá não justifica o aumento que foi feito, que alias e inclusive fere um direito de consumidor.
E acho ao contrario o pessoal da bancada enquanto a coisa não mexeu nos bolsos ficou caladinho aceitando por vezes o recibo do seu Sanchez... vc com certeza tá alcançando o que quero dizer.
Essa pegada de quem vai na arquibancada É MAIS CORINTHIANO é preconceituosa.
Tem muita gente na arquibancada que vai na faixa tb e que assistir CORINTHIANS é programa de turma e pra ser depois fotinho de orkut.
Assim tb como muitos se profissionalizaram em ser corinthiano entende? E por isso msm apesar de ser da bancada fala só em rodinhas que é contra mas não coloca a cara pra diretoria do CORINTHIANS.
Mas tb não são todos.
Por isso msm as generalizações são complicadas e injustas.
Portanto temos é que nos concentrar e realmente TODOS nós lutarmos por essa injustiça.
Quem pagava 50 reais na numerada não é rico não... é uma classe media e classe media que tá pagando as contas com uma certa dificuldade como eu e vc msm.
Meus Pais msm NÃO foram mais ver o CORINTHIANS pq minha Mãe não tem condições fisicas pra ficar na arquibancada e acompanhou o CORINTHIANS uma vida toda mas agora pra poder ir precisa por jogo desembolsar um salario minimo...isso com 70 anos de idade.
Vc acha justo?
Na caminhada dos meus Pais conta por exemplo desde a ida de 76 no Maracanã até a serie B.
Então penso que não devemos nos perder do foco, senão perdemos a força ... pq se formos falar de quem é mais ou menos corinthiano fica complicado.
O CORINTHIANS não é monopolio de ninguem muito menos de uma parte só do estadio.

Beijo

VAI CORINTHIANS!

Claudio Yida Jr disse...

Monikita, eu não disse que quem não vai de arquibancada é mais ou menos corinthiano. Eu disse que há um silêncio assustador nas laranjas e numeradas com relação aos aumentos dos ingressos - principalmente se formos pensar que esses setores sofreram reajustes muito maiores.

Por outro lado, as arquibancadas, mesmo com menor aumento proporcional, protesta e defende inclusive aqueles que foram mais afetados. O que eu quero mostrar é que não adianta ficar reclamando em casa que o ingresso tá caro. Precisa se fazer ouvir. Só que os gritos, como sempre, vem do povão, ainda que timidamente no último sábado.

Se o pessoal que começou a pagar a laranja tivesse protestado anos atrás, quando acabaram com o espaço central das arquibancadas, provavelmente os valores das entradas e a mentalidade seriam outros. Mas quiserem tachar os arquibaldos de "bandidos e marginais", ao mesmo tempo em que venderam a bandeira do conforto. Deu no que deu...

O silêncio contra a elitização é sim algo que pesa contra qualquer corinthianismo. Porque é contrário a nossa essência.

Beijos.

Guilherme disse...

Não gosto de considerar esse fato como generalista , mas a laranja e/ou a numerada nunca vão protestar, porque os que lá estão não se conhecem , não tem relações próximas e muito menos ferramentas para tal , a não ser pela internet mesmo.

E nem é culpa deles , é sim culpa de quem um dia teve a brilhante idéia de separar o Pacaembú em setores conforme a condição econômica.

Mas a realidade é pessimista e jamais teremos de volta o ambiente da década de 90 nos estádios , tudo tende a piorar.

Mônikita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mônikita disse...

Claudio

Em primeiro lugar eu concordo com que o Guilherme disse acima.
É diferente a condição do torcedor de numerada e de outros setores se organizarem para um protesto.
Mas acho que DEVERIAM fazer o que podem e de diversas maneiras.
Por exemplo mandando reclamações para a imprensa ou msm uma atitude radical de não comparecer aos jogos.
Meu Querido esses paradigmas nem deveriam contar mais ... pq são absolutamente ridiculos.
Eu canso de ouvir de muitas pessoas que não se conformam que eu vou em jogo e em arquibancada.
Quero que se danem. No meu reino os loucos são eles que nunca foram...FODAM-SE.
Mas a questão do preços dos ingressos não pode se apegar a isso pq NÃO SÃO ESSES TORCEDORES QUE ESTÃO ELITIZANDO NADA.
São as diretorias dos clubes e principalmente a do CORINTHIANS.
Que mais que todas por ter uma torcida na sua maioria pobre e de classe media NÃO poderia ter feito isso.
Os bixas cansam de fazer promoção pra vender ingresso e NÓIS nos matamos em filas dormindo para conseguir um.
Tb não concordo com a sua colocação que os torcedores de outros setores se venderam a bandeira do conforto ... se quisessem conforto irmão estariam em casa não na numerada ou laranja...se eles se prestam a ir ao jogo, com seus proprios recursos tem seus meritos como todos nóis.
Agora uma coisa concordo com vc:

"O silêncio contra a elitização é sim algo que pesa contra qualquer corinthianismo. Porque é contrário a nossa essência."

Vdd mas eu amplio isso pra outros setores do estadio inclusive pra bancada...TODOS NÓIS CORINTHIANOS TEMOS QUE ENTRAR NESSA LUTA PELOS INGRESSOS.

Bjo

VAI CORINTHIANS!