20 janeiro 2009

Carnaval robotizado


Ano passado estivemos Evinha e eu no Carnaval carioca. Apesar dos perrengues com estadia (fechamos em cima da hora, reservamos um cativeiro e acabamos dormindo num puteiro), passamos belíssimos momentos perambulando pelas ruas do centro da Cidade Maravilhosa. Ciceroneados por Edu Goldenberg, FH, Julio Vellozo e a turma da Flavinha, bebemos até cair, tomamos chuva, passamos calor e fizemos tudo aquilo que um bom folião preza. Também tivemos grandes momentos procurando um lugar para mijar - mais a Eva do que eu -, e isso parece ser outra marca da folia no Rio.

Por esse motivo, diga-se, o poder público de lá recebe constantes e repetidas críticas. Os políticos ignoram solenemente essa festa genuinamente popular (que, aliás, gera muita receita por movimentar a economia da cidade) e não oferecem a infra-estrutura merecedora, voltando seus olhos apenas para o Desfile das Escolas de Samba. Porém, pior do que ignorar é a proposta do novo prefeito do Rio. Indignado com o fato de que as ruas viram "mictórios ao ar livre", Eduardo Paes quer "organizar" o desfile de blocos.

Por organizar, entenda higienizar e elitizar. Além do absurdo de querer taxar os organizadores dos blocos - em sua maioria, os blocos nascem quase que espontaneamente, bancados pelos próprios participantes - para repassar o gasto com limpeza e banheiros químicos, o prefeito abre espaço para a entrada do mercantilismo no Carnaval carioca. A grave conseqüência disso será uma degradação da folia nos mesmos moldes de Salvador, onde empresas promovem um apartheid econômico e excluem os baianos de sua balada privê.

Esse é mais um dos inúmeros exemplos de como o mundo caminha em direção contrária à valorização das tradições populares. Pelo andar da carruagem, em pouco tempo teremos a música eletrônica e o funk dominando os blocos. É a festa momesca de robôs em prol da globalização. Duvida? Então vejam quem é o novo secretário de Cultura em Belford Roxo...


P.S.: na contramão disso tudo, já está no ar o Guia Comentado da Agenda do Samba & Choro de blocos. Imperdível para quem vai, motivador para quem não vai e está pensando em ir. Eu, neste ano, me mando para Pirapora novamente. Mas com um pedacinho do coração no Cordão do Bola Preta, no Berro da Viúva, no Cordão do Boitatá...

2 comentários:

proeva disse...

será q vão higienizar e elitizar a água da sarjeta de pirapora tb?

puts

Claudio Yida Jr disse...

Hahahahhahahahahahahhahahaha...

É da biquinha!