09 outubro 2008

Agora sim as análises


Somente agora surgem análises mais embasadas sobre o primeiro turno dessas eleições. Sugiro aqui quatro textos que servem de base para o direcionamento na luta do segundo turno. O mais brilhante deles, escrito pelo jornalista Mauro Carrara, denuncia a falta de consciência coletiva do paulistano.

Pessoalmente, acredito que a fórmula a ser adotada agora é a do pé no peito. Chega desse discursinho mela-cueca do PT. Isso não faz ganhar nem perder votos. É preciso mostrar que o Kassab é um símio da ditadura, um generalzinho que acha graça na morte de gente que cai em crateras de metrô, xinga a população na Praça da Sé e grita com um desempregado dentro de um hospital.

Por fim, e também como forma de justificar a derrota de Marta, é certo afirmar que a abstenção de mais de um milhão de eleitores influenciou em muito. Não que eles fossem votar na petista, mas a ausência só confirma o descompromisso do povo com o voto, direito pelo qual muitos lutaram durante anos - e alguns até morreram por isso.

Eis os links:

- Como Kassab ultrapassou Marta - Por Mauro Carrara
- Acertos e erros da esquerda nas eleições 2008 - Por Altamiro Borges
- São Paulo e a redenção dos fundões - Por Mino Carta
- Mídia dá tratamento negativo a Alckmin e reduz exposição de Marta - Por Observatório Brasileiro de Mídia

3 comentários:

Filipe disse...

O nuncaçabe "bandeirante" foi ótima.

o descompromisso do povo nasce na mesma doença de caráter da esposa do garcia.
Quem não está nem aí com consciência limpa a bunda com o voto.
É isto o que está acontecendo...

Raphaello disse...

Cráudio, meu velho!

Passei por aqui pra avisar os amigos que fui "cortado" da rede. O blogspot tirou o Cruz de Savóia do ar por "suspeita de blog-spam", não sei bem o que quer dizer isso... agora vão "investigar o conteúdo": primeiro batem, depois perguntam.

Desculpe a invasão, mas precisava dar o recado. Vamos ver como me viro. Abraços!

ClaudioYidaJr disse...

Cara, eu estou simplesmente indignado!!!!

Isso não é possível.

Para aqueles que acreditam em liberdade de expressão, eis aí o caso mais grave de censura que eu já vi.

Cara, conversemos amanhã por e-mail. Tens, desde já, toda a minha solidariedade.