13 outubro 2008

Usando as mesmas armas


A campanha petista, enfim, assumiu uma postura mais contundente e, desde ontem, partiu para cima do generalzinho. O mesmo generalzinho que ignora sua origem – disse que não nasceu a tempo de viver a ditadura – ficou acuado e solicitou para sua assessoria de imprensa (entenda-se Falha de S.Paulo) a elaboração de uma defesa.

Prontamente, a assessoria atendeu o cliente, já que o Serra deve estar de olho. Hoje mesmo eram garrafais as letras da manchete: “Marta parte para ataques pessoais”. Opa, peralá! E quando a ex-prefeita se divorciou do Suplicy e casou com o argentino, o que houve na mídia? Trataram-na como vagabunda e imprimiram a ela uma pecha de destruidora de lares. Isso, para a moralidade paulistana, é inaceitável – mesmo com coisa pior sendo feita debaixo dos panos pelos Café Photos da vida...

O que dizer então da sempre machista definição de Marta como “dona”. É o “dona” pejorativo, quase mandando a mulher ao tanque para lavar cueca do marido. Aos olhos da mídia, porém, isso passa. Mulher, ao que parece, tem mesmo que ficar em casa cuidando da família.

Mas, se prezam tanto o conceito da família (alguém se lembra da marcha de 1964, legitimando o golpe militar?), por que criticam a busca da campanha petista ao clã Kassab? Para mim, isso foi nada mais que uma cilada, em que se explorou o próprio preconceito da mídia e do povo. Afinal de contas, fica no ar uma suposta homossexualidade do demoníaco candidato. Ele, otário, se ofendeu (e quem se ofende veste a carapuça e também o preconceito) e garantiu a eficiência da propaganda.

Defendo veementemente a tática do pé-no-peito, já que com esse eleitorado de São Paulo não dá para vacilar. Mandar uma mulher ao tanque é tão ofensivo quanto a homofobia. Marta não se deixa levar pelo machismo e é desbocada, assume seu papel transgressor e fica com a imagem de arrogante. Já o enrustido não se orgulha nem da própria condição e ainda esconde sua sexualidade como se isso fosse uma doença, só para não perder votos – ciente que é do preconceito que rege a capital que se auto-intitula cosmopolita, moderna e civilizada.

Neste clima de guerra, vale tacar até a mãe para ver se ela quica. O que não vale é reprimir o oponente de usar a mesma arma que a sua.


Mais: Portal Vermelho - Kassab usa estratégia malufista em debate

4 comentários:

ClaudioYidaJr disse...

Mais duas observações:

1) Marta não deveria se preocupar com um suposto arranhão na sua imagem com a comunidade LGBTT. Até porque a maioria do povo não votou nela mesmo...

2) O grande Brizola jamais perdeu um votinho por meter o pau nO Globo, pelo contrário. Não seria a hora de Marta começar a desmascarar a Falha? Merda por merda, pelo menos sai-se com dignidade do pleito. E foda-se o politicamente correto.

Anônimo disse...

AE PETISTA BABACA..ADORADOR DE LADROES...VC FALA TANTO EM MALUF, MAS O MALUF APOIOU MARTAXA EM 2004 E HOJE FAZ PARTE DA BASE ALIADA DO ALI BABA.
ALIAS, O PETISTA EH UM MALUFISTA DE ESQUERDA.
DONA MARTAXA SERA ELIMINADA DA POLITICA E O PT VARRIDO DO MAPA.
SEM LULLA ALI BABA A ENGANAR OS IGNORANTES O PT EH O QUE SEMPRE FOI...UM PCC.
COLIGACAO PT-PCC COM LULLA PARA PRESIDENTE BERNARDES.

ClaudioYidaJr disse...

Eis que chegaram por aqui...

Anônimo babaca, tua mensagem só fica aqui para servir de exemplo de quais comentários serão excluídos.

Leia mais meu blogue, aliás, e veja o quanto não sou petista.

Abraços, querido!

Filipe disse...

Meu Deus, Japonês... que mundo é esse??

Se o cara me fala uma coisa dessa mas com suficiente caráter para se mostrar, é uma coisa.
Aliás, poderíamos até conversar, pois há pontos de convergência, ainda que distorcidos.

Mas esse aí é anônimo. Sinal de que o próprio autor se desmerece.

É uma coisa tipo o nunkaçabe, que é bichinha mas é enrustida, que dá o cuzinho mas não diz pra ninguém porque tem medo.

É um tucanóide? Parece.
É um cachorrinho de madade demoníaca? Parece também.

Essa escória escrota está se dividindo e multiplicando...
Tempo obscuro em que vivemos...

*******

Acho mesmo que deve jogar dois, mil pés no peito desses calhordas.
E tem que cuspir na imprença sim.
Na folhetim dos poodles da madame principalmente.

Mas vamos evitar de pôr o velho Leonel na roda.
Não sujemos um passado glorioso!...
Porque ele estava longe do "merda pela merda"...

Abraço.