21 outubro 2008

Valeu, mestre


Num dia do ano 2000, o cumpadre FH me chama para um show, dando ênfase ao cantor: "cara, é o Luiz Carlos da Vila". A apresentação, de caráter intimista, seria feita no Villagio Café, na época que o bar no Bixiga ainda abrigava grandes noites de samba. Se hoje sou só um leigo na arte do batuque, imagine à época. Conhecia o cantor e compositor apenas pela sua obra-prima, "Kizomba, a Festa da Raça", e por causa do sucesso "O Show Tem que Continuar", gravado por um sem-fim de intérpretes.

Chegamos ao lugar por volta da meia-noite, e o Luiz Carlos só foi dar as caras lá pela 1h30. Além do ambiente em si, valorizava-se o show porque o maestral sambista estava meio cambaleante e havia gente não lhe dando mais do que alguns meses de vida. O mestre mandou bem não só naquela noite como em todas as outras que se seguiram durante esses oito anos até o dia 20 de outubro, quando ele foi para o lado de lá. Nesses mesmos oito anos, tinha Luiz Carlos da Vila como um dos maiores na música brasileira.

Grande músico e letrista, isso tudo era reflexo da sua própria personalidade. Não, nunca troquei mais que três palavras com ele (e essas não passaram de um tudo bem, Luiz Carlos? em um encontro casual). Mas ele era tão transparente - principalmente no palco - que era impossível haver jogo de cena.

Dizem que quando essas tragédias acontecem, outras coisas ruins a anunciam, talvez numa forma de nos preparar para o baque. De fato, tratou-se de um fim de semana cinzento, em que precisei inclusive das palavras que deixo mais abaixo (pra você!). De fato, perdemos todos um ídolo. Salve, Luiz Carlos da Vila!

"Por te amar eu pintei
Um azul do céu se admirar
Até o mar adocei
E das pedras leite eu fiz brotar

De um vulgar fiz um rei
E do nada um império pra te dar
A cantar eu direi o que eu acho então o que é amar

É uma ponte lá para o longe dos horizontes
Jardim sem espinhos
Vinho que vai bem em qualquer canção
Roupa de vestir qualquer estação

É uma dança, paz de criança
Que só se alcança se houver carinho
É estar além da simples razão
Basta não mentir pro seu coração"

4 comentários:

Filipe disse...

Mais um que se vai...
Ou menos um por aqui...

Salve!

Filipe disse...

Mais um que se vai...
Ou menos um por aqui...

Salve!

ClaudioYidaJr disse...

O cara era um gênio!

evaodocaminhao disse...

Vem amenizar a minha dor, amor
Tu és entre elas a mais bela flor
Vem porque só eu te quero bem
És a vida da minha vida, querida

Vem dar lenitivo ao meu pobre coração
Que tanto sofre a esperar por teu amor
Vem suavizar esta paixão
E exterminar toda esta dor
Ora, vem por favor